Notícias

Olimpíada Brasileira de Química do Ensino Médio está com inscrições abertas

Os coordenadores estaduais das Olimpíadas de Química podem inscrever, até o dia 18 de outubro, estudantes do Ensino Médio ou Técnico para participar da Olimpíada Brasileira de Química (OBQ), etapa nacional. A prova, que será remota devido à pandemia da Covid-19, acontece no dia 25 do mesmo mês. 

Segundo o coordenador do Programa Nacional Olimpíadas de Química, professor Sérgio Melo, o projeto visa identificar talentos e estimular muitos a descobrir a vocação. “Temos relatos de alunos que se apaixonaram pela ciência depois que participaram dos projetos. Muitos dos medalhistas se sentem prestigiados e estimulados a continuarem seus estudos até títulos mais avançados, como mestrado e doutorado”, conta.

Ensino Médio – A Olimpíada Brasileira de Química (OBQ) Ensino Médio é dividida em duas modalidades: Modalidade A, destinada aos estudantes de 1º e 2º anos do ensino médio; e Modalidade B, destinada aos estudantes do 3º ano do ensino médio. Só poderão participar da etapa nacional os alunos já classificados na Olimpíada Estadual de Química. 

Cada coordenador estadual pode inscrever até 56 (cinquenta e seis) estudantes de seu estado, divididos entre modalidades A e B, selecionados na olimpíada estadual. Os medalhistas nessa etapa (Fase III da OBQ) prosseguem nas fases seguintes, responsáveis por selecionar os alunos que integrarão as delegações que vão representar o Brasil nas olimpíadas internacionais.

A participação na Olimpíada Brasileira de Química (OBQ) é gratuita. Para participar, cada coordenador deve ficar atento ao calendário oficial do evento no site: http://obquimica.org/calendarios/nacionais. 

Premiação – Na OBQ, os 15 estudantes da Modalidade A, com médias mais elevadas após o exame experimental, participarão do Curso de Aprofundamento e Excelência, ministrado pelo Instituto de Química da Universidade de São Paulo (USP). Os quatro estudantes com melhor rendimento serão convocados para representar o Brasil na Olimpíada Internacional de Química e na Olimpíada Ibero-americana de Química.

História – A Olimpíada Brasileira de Química surgiu em 1986, por iniciativa do Instituto de Química da USP, com o apoio da FAPESP, da Secretaria da Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. No primeiro evento contou com a participação de 5 estados brasileiros. Suspenso durante sete anos, ressurgiu em 1996, por iniciativa da Universidade Federal do Ceará, da Universidade Estadual do Ceará e da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FUNCAP).