Notícias

Novo presidente do CRQ de SC aposta na fiscalização e no bom atendimento aos profissionais

Desde meados de abril o Conselho Regional de Química da 13ª Região (CRQ XIII) tem um novo presidente: Clóvis Goulart de Bem, que ocupava a vice-presidência, comanda o CRQ XIII depois que o presidente Nivaldo Kuhnen foi eleito e empossado conselheiro federal.

Se é presidente há menos de um mês, de Bem está longe de ser um neófito dentro do Sistema CFQ/CRQs. Formado em licenciatura e bacharelado em Química pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em 1978, ele integra o grupo de profissionais que se envolveu na implantação do CRQ XIII. Pouco tempo depois, ele passou a integrar a diretoria do CRQ XIII, como secretário, tesoureiro e, por fim, vice-presidente.

A evolução dentro do CRQ XIII ocorreu em paralelo com o desenvolvimento pessoal, onde De Bem buscou se especializar em Química Analítica e, mais tarde fazendo mestrado na UFSC na área de agroecossistemas, com especialização em química de solo – além de uma especialização em Química Analítica de seis meses na Carolina do Sul (EUA).

“Atuei por 35 anos na área de laboratório, implantamos análise de águas, de alimentos…“, recorda.

O novo presidente ressalta que uma das prioridades é a realização de nova eleição para o cargo, mas ele tem ideias claras sobre o que pretende para o CRQ XIII:

“Inicialmente, a primeira parte é organizar uma eleição para presidente. Isso tem que ser feito. A gente tem a nossa estrutura e ela sempre foi muito redonda, um conselho pequeno mas muito atuante, estamos entre os 4 ou 5 conselhos do Brasil em relação à arrecadação por exemplo”, afirma.

De Bem considera que, com um Estado de distâncias reduzidas, a fiscalização que já é efetiva pode ser incrementada. O objetivo, ele avalia, é desenvolver as vistorias, defender os postos em que é exigida a presença de um profissional da Química e atender bem ao público.

“Temos a ideia de implantar um concurso para novos funcionários. Nosso quadro está defasado e nosso objetivo é o profissional sempre, o melhor atendimento possível e, claro, a fiscalização. Hoje temos quatro fiscais, precisamos de pelo menos mais dois fiscais, para ter amplitude melhor. A proposta é ampliar o trabalho para os profissionais da Química”, afirma.

O novo presidente catarinense pretende dar prosseguimento ao trabalho de estimular os estudantes a participarem da Olimpíada da Química. Ele aponta ainda o propósito de melhorar a estrutura do CRQ XIII no interior, com obras em algumas delegacias. De Bem transita muito bem dentro do Sistema CFQ/CRQs. Pela experiência acumulada, ele destaca ter contato muito rico com os demais presidentes de CRQs e, especialmente, com a diretoria do Conselho Federal de Química (CFQ).

“Nossa relação com o Sistema sempre foi muito salutar, desde sempre houve uma relação boa aqui de Santa Catarina com o Federal. Temos uma boa conversa com o presidente José de Ribamar Oliveira Filho. Ele, sempre que precisamos de apoio, nos mostrou disponibilidade. Na gestão do presidente Nivaldo, sempre acompanhei ele. Tenho bom trânsito com o grupo de presidentes. Eles me conhecem e sabem como somos”, concluiu de Bem.