Notícias

Sistema CFQ/CRQ e Abiquim: parceiros para difundir a Química e o trabalho de seus profissioniais

Entre as estratégias para difundir ao máximo os conceitos da Química para a sociedade, o Sistema CFQ/CRQ também conta com o apoio de parceiros ligados ao segmento para expandir o conhecimento. São associações, fundações, confederações, agências reguladoras e outras entidades que dialogam com o sistema e propõem parcerias tanto para divulgações, como para projetos em comum. Um destes parceiros é a Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim). Segundo a entidade, a previsão de investimento no setor é de US$ 3,3 bilhões até 2022.

Com a missão de promover o aumento da competitividade e o desenvolvimento sustentável da indústria química brasileira, a Abiquim vê no Sistema uma oportunidade para incrementar este processo. O presidente-executivo da entidade, Fernando Figueiredo, esteve no Espaço Q, na Avenida Paulista, e saiu satisfeito com o que viu. “Este espaço foi uma ideia extraordinária para aproximar o público da Química, especialmente os jovens, para que possa despertar neles o interesse pelo estudo da ciência. Atualmente, a indústria química é o terceiro maior setor do PIB industrial e precisamos cada vez mais de investimentos e capital humano para aumentar a produtividade”, declarou. Ele lembra que as indústrias do setor têm papel fundamental na exploração do pré-sal brasileiro. “Não podemos ser apenas o país importador de matéria-prima, mas o país que industrializa”, acrescentou.

A diretora de Relações Institucionais, Comunicação e Sustentabilidade da Abiquim, Marina Mattar, também prestigiou o Espaço Q e ficou impressionada com a instalação. “Achei fantástica essa iniciativa, muito moderna e é isso que precisamos: melhorar a comunicação do setor Químico. Esse cubo conectou o dia a dia das pessoas com a Química, humanizando o tema”, elogiou. Marina já planeja intensificar a parceria com o Sistema CFQ/CRQ. “Temos buscado cada vez mais trabalhar em conjunto, valorizando tanto o trabalho do profissional de Química, quanto o da indústria química, que está na base de outros setores industriais buscando reforçar sua importância para a economia brasileira”, declarou.

A Abiquim trabalha na defesa dos interesses das indústrias fabricantes brasileiras, com o objetivo de aumentar a competitividade do setor. As várias frentes de atuação da associação também englobam o Legislativo e Executivo com o intuito de reforçar a vocação natural do Brasil na produção química. “Nosso país é rico em petróleo, vai triplicar sua produção de gás natural, tem a maior biodiversidade do mundo, tem minerais e tantos outros fatores que permitem o desenvolvimento da indústria química e a conseqüente geração de empregos”, declarou Marina.