Notícias

Série em 21 episódios revelou um pouco do que faz e como pensa o Sistema CFQ/CRQs

Como parte das comemorações pelo Dia Nacional do Profissional da Química deste ano, foi realizada uma série de entrevistas com o presidente do Conselho Federal de Química (CFQ) e dos Conselhos Regionais de Química (CRQs). Ao longo de dois meses, foram publicadas no site do CFQ (cfq.org.br) e nas redes sociais do conselho federal 21 entrevistas com perguntas e respostas (veja links para as entrevistas ao final deste texto).

O propósito da série é apresentar à sociedade e aos químicos quem são seus representantes e o que representam os conselhos profissionais espalhados por todo o país, bem como características ilustrativas da Química em cada Estado e região do Brasil. Mas, mais que isso, as entrevistas apontam as restrições ao trabalho de fiscalização e às atividades do Sistema CFQ/CRQs em apoio à população. É o caso, por exemplo, da legislação em torno da produção de leite e derivados. Um entendimento judicial considerado equivocado tem fragilizado a fiscalização desses produtos, como lembraram diversos presidentes em suas entrevistas.

“Nós mostramos que o veterinário deve cuidar da sanidade do gado, se o boi está íntegro, hígido e etc. Depois, quando o boi já foi abatido, a carne é responsabilidade dos profissionais da Química para tratar-se dos embutidos… O leite, a responsabilidade técnica do Químico, para a manteiga, iogurte, vários tipos de queijo que se diferenciam por processos químicos”, apontou, na sua entrevista, o presidente do Conselho Regional de Química da 9ª Região (CRQ IX), Dilermando Brito Filho.

Às dificuldades comuns que o exercício da Química enfrenta, se somaram os reflexos da pandemia de Covid-19. O tema foi onipresente nas entrevistas, mas o sentimento que se sobrepôs foi o de que a Química e seus profissionais tiveram seu papel reafirmado diante dos desafios da pandemia.

“Os profissionais da Química têm totais condições de realizar. O mundo está em meio a uma transformação e Química, o que é, senão transformação? É a transformação da matéria. Estamos em uma oportunidade ímpar para, de fato, termos a sociedade olhando para a Química com outros olhos, como aliada” comenta, com grande clareza, Suzana Aparecida da Silva, presidente do Conselho Regional da Química da 16ª Região (CRQ XVI), do Mato Grosso.

Em um país continental como o Brasil, as vocações regionais fazem com que a Química seja rica e diversificada. As entrevistas deixaram claro essas diferenças: desde o Sudeste, onde se concentram muitos profissionais e indústrias de grande porte, a preocupação com o desenvolvimento e o crescimento econômico do país se sobrepõe; no Norte do país, distâncias geográficas enormes expõem outras urgências completamente diferentes que, por sua vez, diferem absolutamente das necessidades da sociedade do Nordeste.

“São poucas empresas, e o desafio é viabilizar o funcionamento deste Conselho… Mas temos, por exemplo, o tratamento de água em todo Estado. Vivo brigando com os prefeitos e câmaras de vereadores, a gente tem sido intensivo nisso, participando, insistindo da importância de manter a excelência na água tratada no Estado. Com isso, evitamos doenças e temos um povo bastante sadio…” revela o presidente do Conselho Regional de Química da 11ª Região (CRQ XI), José de Ribamar Cabral Lopes.

Tema da campanha para o Dia Nacional do Químico para este ano, o “Somos Indispensáveis”, o papel superior da Química na sociedade moderna foi reforçado pelos presidentes.

“A Química é o fundamento da produtividade agrícola, é a base material de tudo o que utilizamos, sejam os produtos de limpeza, sejam as vestes, sejam aquilo com que nos alimentamos, e, por trás de tudo isso, há um profissional da Química responsável por essas atividades, que é fiscalizado pelo Sistema CFQ/CRQs a fim de garantir a qualidade dos produtos e insumos visando, sobretudo, o bem-estar da sociedade”, afirmou o presidente do CFQ, José de Ribamar Oliveira Filho, em sua entrevista.

Confira a série completa: