Notícias

Encontro de TI discute a inclusão de atividades finalísticas no Pool de Serviços

Licitação no Paraná gera expectativa de que serviços sejam incorporados em breve

 

Em mais um evento da programação da Semana do Aprendizado 2020 do Sistema CFQ/CRQs, foi realizada na tarde desta quarta-feira (16) mais uma apresentação virtual dentro do Encontro de Tecnologia da Informação (TI), falando das próximas etapas do Pool de Serviços Compartilhados.

A apresentação coube ao gestor de Tecnologia da Informação do Conselho Federal de Química (CFQ), Cristiano Xavier Lucas Ferreira. O objetivo principal da exposição era debater o andamento do Pool de Serviços Compartilhados – mas também discutir a possibilidade que ele avance para o fornecimento de soluções de TI para a atividade finalística.

Ferreira apresentou as vantagens potenciais da implantação das soluções nas atividades-fim do Sistema. Entre os serviços que podem ser incluídos por sugestão do CFQ, estão o controle de inscritos, seus débitos e dívida ativa; documentos e protocolos; processos; fiscalização e portal de informações do Sistema CFQ/CRQs.

“Podemos ter uma ferramenta que permita construir os documentos que utilizamos de forma eletrônica, o que vai agilizar o processo. Mas tudo que estou falando se trata de potencialidades, isso nós vamos definir dentro da implantação”, afirmou o gestor de TI do CFQ.

Ferramentas de TI simbolizam avanço importante ao Sistema

Os benefícios da plataforma finalística, de acordo com Ferreira, são o aumento da oferta de serviços digitais, a digitalização dos processos e documentos, assinaturas com certificados digitais, gestão de atribuição por curso, gestão financeira e controle de dívida ativa, fiscalização com utilização de tablet e impressora térmica, gestão de plenária, tramitação digital de 1ª para 2ª instância, padronização de processos e documentos e a elaboração de um portal com informações do Sistema CFQ/CRQs.

O gestor apresentou ainda informações sobre uma licitação desse tipo de serviços desenvolvida pelo Conselho Regional de Química da 9ª Região (CRQ IX), do Paraná. Como resultante desse processo, uma ata de registro de preços, com deságio de 25%, que pode ser aproveitada por todo o Sistema CFQ/CRQs.

A expectativa dos CRQs é que as soluções da área finalística possam ser incorporadas ao Pool de Serviços Compartilhados – o que permitiria ao CFQ assumir a maior parte dos custos, mediante contrapartidas dos próprios regionais.

Para que esses serviços sejam incluídos no Pool de Serviços, há uma tramitação que envolve, entre outras instâncias, a aprovação por parte da diretoria e do plenário do CFQ. Independentemente disso, já existe um cronograma que prevê o começo das operações em outubro, no próprio CRQ do Paraná, e com possibilidade de que os Conselhos interessados façam a adesão ao longo de 2021.

Presidente do CRQ IX, o professor Dilermando Brito Filho fez um relato, recuperando o histórico de trabalho que construiu a licitação.

“Estamos vendo que a Semana do Aprendizado foi focada no sistema finalístico. Fizemos um trabalho árduo, de fevereiro de 2019 até julho de 2020. Envolvemos vários setores, para que fizéssemos termo de referência. É de primordial importância que a plataforma finalística entre no Pool de Serviços. Isso vai trazer a padronização. Precisamos que o federal tenha o apoio irrestrito e que aprove isso para que possamos cumprir o cronograma prévio. Se queremos evoluir, unidos somos mais fortes”, afirmou Dilermando.

Presidente do CRQ XII, Luciano Figueiredo de Souza reforçou o pedido por celeridade: “Gostaria de parabenizar o CRQ IX e o CFQ. Já havíamos manifestado nosso interesse em participar, desde o início, e estamos ansiosos aqui que isso passe pelo plenário para que os Conselhos tenham acesso mais fácil a essa mudança. É fundamental que esse processo passe a fazer parte do pool de serviços”, concluiu Souza.

 

YouTube é tema de treinamento

Na tarde da quarta-feira (16), a comunicação voltou à pauta da Semana do Aprendizado. Foi a vez de explicar as funcionalidades do YouTube, a plataforma de compartilhamento de vídeos mais acessada em todo o mundo.

Conduzido pela chefe da Assessoria de Comunicação do CFQ, Jordana Saldanha, o treinamento reuniu 50 participantes. Inicialmente, ela apresentou os dados da rede social. Só no Brasil, são cerca de 98 milhões de pessoas conectadas. Segundo dados do YouTube, as buscas por conteúdo ao vivo cresceram 4.900% no Brasil na quarentena. O fenômeno é mundial.

Nos últimos dois anos, o YouTube ganhou 35 milhões de usuários – é como se um Canadá inteiro tivesse entrado na plataforma entre 2015 e 2017, o que representa um crescimento de 54%. A ferramenta é customizável e possui audiência mais engajada entre o público de 18 a 49 anos.

Além dos números, Jordana falou sobre as principais motivações (conexão, conhecimento, entretenimento e identidade) que levam as pessoas a consumirem vídeos.

Antes de explicar as funcionalidades do YouTube, ela abordou também a presença digital do Sistema CFQ/CRQs. Atualmente, sete CRQs têm canal na rede. “Temos acompanhado essa presença digital do Sistema. Do ano passado para cá, já percebemos a melhora e o esforço dos CRQs em relação à frequência das publicações”.

Em seguida, Jordana mostrou o passo a passo para criar um canal e otimizar os conteúdos. Quem participou do treinamento perguntou um pouco sobre a experiência do Conselho com a plataforma. Ela detalhou algumas métricas e apresentou os principais resultados do CFQ nos últimos meses, como as animações sobre água sanitária e álcool em gel, e os vídeos da websérie Virei Químico! E agora? – todos com bom tempo médio assistido, o que indica que os conteúdos estão sendo consumidos pelos públicos, ou seja, prendem a atenção da audiência.

A chefe da Assessoria de Comunicação do CFQ também falou sobre a importância da estratégia na hora de produzir vídeos, dando como exemplos conteúdos produzidos pelo CFQ. “Quando se fala em redes sociais, é preciso pensar em duas coisas: no que as pessoas gostariam de ver e no algoritmo, a fórmula matemática que define o que vai aparecer ou não”.

Durante o treinamento, o assessor de Comunicação do Conselho Regional de Química da 4ª Região (CRQ IV), Carlos de Souza, perguntou é possível produzir vídeos de boa qualidade sem grandes recursos.

Jordana explicou que os conteúdos informativos podem ter uma apresentação mais informal. “Hoje temos muitos recursos disponíveis para a produção. Boa parte dos conteúdos pode ser feita com celular e programas de edição fáceis de operar. Além disso, há formas de variar o conteúdo que acabam contornando as limitações, enfatizou. Segundo ela, as lives que o CRQ de São Paulo e outros Conselhos estão fazendo são exemplos da diversidade de formatos.

Para Carlos, o treinamento atingiu o objetivo de mostrar uma visão geral da plataforma. “Para nós, da 4ª Região, que temos material publicado há alguns anos, foi bom para conhecermos novos recursos e alertar para questões que merecem atenção antes de publicar”.

Após duas horas de muita interação, o resultado foi uma plateia querendo conhecer mais e conquistar espaço na rede social.

A Semana do Aprendizado é voltada para os profissionais e membros do Sistema CFQ/CRQs, e prossegue com atividades até a sexta-feira (18).