Notícias

Semana da Química da UnB traz novas experiências para comunidade acadêmica

Atividades desenvolvidas pelo Instituto de Química da Universidade de Brasília envolveram alunos, professores e convidados em diversas ações de extensão, ensino e pesquisa

 

Como parte da 20ª edição da Semana Universitária da Universidade de Brasília (UnB), entre os dias 21 e 25 de setembro, alunos, professores e convidados se juntaram para vivenciar, remotamente, a Semana da Química. A proposta da universidade é que cada unidade acadêmica promova ações que abarquem atividades propostas por docentes, técnicos e estudantes, além da comunidade externa.

E, durante uma semana, o Instituto de Química (IQ) da universidade esteve envolvido em mais de 30 atividades divididas entre palestras, minicursos, entrevistas e sessões coordenadas. A extensão, por exemplo, contou com convidados externos e minicursos sobre temas diversos, como ferramentas utilizadas na profissão de Químico até conteúdos para impulsionar a vida acadêmica.

A programação foi bem variada e trabalhou o campo da Química sob diversos aspectos, desde o papel dos profissionais da Química frente ao meio ambiente até questões ligadas ao mercado de trabalho. Toda a organização foi feita pelos alunos que participam do Programa de Educação Tutorial (PET) no IQ. É um programa do governo federal de estímulo a atividades de pesquisa, ensino e extensão universitárias no nível de graduação.

A coordenadora de extensão Elaine Rose Maia, professora que tutela os alunos do PET no IQ e que também é responsável pela organização da Semana da Química, explica que a programação tem como base a tríade acadêmica formada pelo ensino, pesquisa e extensão, agregada à temática do mercado de trabalho.

“Como o evento faz parte da Semana Universitária, a intenção é que todos os alunos possam participar de atividades extra das quais eles não participam rotineiramente”, explica.

Devido à pandemia do novo coronavírus, a edição deste ano foi diferente das demais. Realizada de forma totalmente virtual, não se sabia ao certo como seria a nova experiência. Na avaliação da professora Elaine, o evento superou as expectativas ao bater um recorde de inscrições, com mais de 3.500 participantes, sem contar as visitas externas, já que a transmissão foi aberta pela internet.

 

“Nunca havíamos atingido um número de inscritos tão alto. A acreditamos que o fato de a Semana ter sido realizada a distância proporcionou uma certa facilidade tanto para quem assiste como para os professores e convidados, já que assim eles puderam fazer as palestras virtualmente”, comemora.

João Vitor Neiva, um dos alunos que participaram da organização da Semana da Química, o evento é uma oportunidade de conhecer as linhas de pesquisa e aprofundar o que vê na sala de aula. “A Semana possibilita um contato científico ímpar. É muito bom podermos interagir com os professores e conhecer seus trabalhos. Também vejo como uma forma de aprofundar o que vemos em sala de aula, um complemento à graduação. É a terceira Semana da Química da qual eu participo e, sem sombra de dúvida, foi o que mais gostei de fazer na universidade até agora”.

Luiz Henrique Camargos também participou da construção e execução da Semana da Química. Ele conta que não poderia estar mais feliz com o resultado atingido. “Apesar de ter sido uma situação muito nova e desafiadora para todos também foi uma experiência extremamente agregadora. O IQ e o nosso grupo como um todo estão muito felizes com os resultados e, em especial, com os feedbacks que temos recebido. Foi uma experiência inigualável que nos impulsionou a buscar mais inovação e dinamismo. Sempre!”.