Notícias

Ranking dos melhores cursos de Química: federais dominam lista dos melhores

Tão difícil quanto escolher uma carreira profissional é saber qual universidade oferece os melhores cursos. Para ajudar nessa escolha, o Ministério da Educação (MEC) realiza, anualmente, um levantamento das instituições (públicas e privadas) e cursos mais qualificados do país. Com relação aos cursos de graduação em Química (bacharelado e licenciatura), a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) foi considerada a instituição que ofereceu os melhores cursos em 2017, seguida da Universidade de Brasília (UnB) e da Universidade Federal de Sergipe (UFS).

Para se chegar a este resultado, o MEC, por meio do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), utiliza o Conceito Preliminar de Cursos (CPC). No total, 128 cursos de Química (bacharelado) e 262 (licenciatura) foram avaliados em todo o país. Estes dados também são utilizados para regulamentação dos cursos e instituições. Segundo o MEC, mais de 88% das instituições brasileiras estão entregando aquilo que ministério pede e até um pouco a mais. O ranking também é uma oportunidade para que cada instituição reveja os seus caminhos, buscando as análises próprias e, dessa forma, retomem a melhoria das condições de oferta e do trabalho que fazem na formação dos alunos.

A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), em Cuiabá, oferece, anualmente, 66 vagas em Química (sendo 33 por semestre) em tempo integral (7h30min às 17h30min). O estudante deverá concluir 202 créditos no período médio de oito períodos. Seu projeto pedagógico tem como aspecto principal a manutenção de um núcleo de fundamentação sólida e abrangente em Química, avançando pela área tecnológica com espaços para a discussão de temas como a Inovação Tecnológica, a Química Ambiental, o Aproveitamento de Resíduos e a Química Verde.

O que é o CPC?

O Conceito Preliminar de Curso (CPC) é composto de oito componentes, agrupados em quatro segmentos que se destinam a avaliar a qualidade dos cursos de graduação. Para que um curso tenha o CPC calculado, é preciso que ele possua, no mínimo, dois estudantes concluintes participantes no Enade. Os insumos usados nos cálculos são: Desempenho dos estudantes no Enade – Nota do Enade; Valor agregado pelo curso ao desenvolvimento dos estudantes concluintes (IDD); Perfil do Corpo docente (Regime de Trabalho e Titulação) – Censo Superior; Percepção Discente sobre as Condições do Processo Formativo – Questionário do Estudante no Enade.

Confira aqui lista dos cursos de Química mais bem avaliados pelo MEC: resultado_cpc_2017