Notícias

Química Solidária: confiança do setor privado foi fundamental para sucesso da campanha

O Química Solidária – uma campanha do Sistema CFQ/CRQs que, entre outras ações, inclui a produção de álcool 70%, líquido ou em gel – não existiria sem a participação de empresas e entidades que compreenderam a importância de disponibilizar os produtos para que todos pudessem se proteger contra a pandemia de Covid-19.

Um dos principais parceiros da campanha, com iniciativas espalhadas por mais Estados, é o Grupo LafargeHolcim, uma empresa de origem suíça produtora de material de construção, presente em 80 países. Mesmo que a empresa não esteja diretamente relacionada à produção de sanitizantes ou assemelhados, houve a compreensão de que seria importante, em termos de responsabilidade social, oferecer alento às comunidades vizinhas a suas unidades fabris.

O primeiro contato com a Química Solidária ocorreu através de uma entrevista da presidente do Conselho Regional de Química da 19ª Região (CRQ XIX), Raquel Lima, a uma emissora de TV da Paraíba. Motivados pelo apelo de Raquel no ar, representantes da fábrica suíça se prontificaram a desenvolver uma parceria local.

“A partir desse contato, percebemos que a parceria tinha potencial para ir além da Paraíba. Pudemos articular com outros presidentes e abrir as portas do Sistema CFQ/CRQs para essa ação que beneficia tanta gente”, afirma Raquel.

A partir daí, a parceria com o CRQ paraibano envolveu também a Universidade Federal da Paraíba (UFPB). A elas, se seguiu uma parceria para produção envolvendo o CRQ II (Minas Gerais). De acordo com o presidente do CRQ mineiro, Wagner José Pedersoli, o encontro de interesses em prol da sociedade aproximou a multinacional e o Sistema CFQ/CRQs.

“A pandemia veio para reforçar a necessidade de cooperação entre setor produtivo, sociedade e poder público. O objetivo comum destes se resume em benefícios para a coletividade. Esperamos que a pandemia deixe um legado positivo de interação e complementariedade entre os diversos atores envolvidos no projeto. O objetivo finalístico do CRQ de Minas Gerais sempre foi e sempre será a proteção da sociedade”, assinala Pedersoli.

Outro entusiasta da parceria e responsável pelas tratativas que a tornaram realidade é o conselheiro federal de Química e chefe da Fiscalização do CRQ II, Rodrigo Alan de Moura Rodrigues. Ele destaca o caráter de entendimento entre setores público e privado em favor da comunidade.

“A parceria entre LafargeHolcim e CRQ da 2ª Região (Minas Gerais) representa a necessidade premente da junção entre trabalho, regularidade e boas ações. A produção de álcool 70%, com vistas à doação demonstra o compromisso da empresa e da autarquia com o desenvolvimento de atividades sustentáveis nas dimensões ambiental, econômica e social”.

Segundo a empresa, foram estabelecidas parcerias também com prefeituras nos Estados de Minas Gerais, Paraíba, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Goiás e São Paulo para distribuição dos produtos. A fabricação neste momento está restrita aos Estados da Paraíba e Minas Gerais – mas há perspectiva de expansões para outras localidades. A meta da LafargeHolcim é produzir ao todo mais de 8 mil litros de álcool glicerinado, beneficiando 25 mil pessoas.

Para o presidente do Conselho Federal de Química (CFQ), José de Ribamar Oliveira Filho, a união em prol do interesse da população é o espírito que move o Sistema CFQ/CRQs e os profissionais da Química.

“A campanha Química Solidária se tornou um símbolo do comprometimento da Química e de seus profissionais com o Brasil. É um orgulho para todos nós termos tido a capacidade de organização e realização que tivemos, ajudando tantas pessoas. Integração é a palavra-chave, e é mais importante ainda quando essa integração envolve empresas sensíveis ao momento e à causa, que merecem todos os aplausos”, afirma Oliveira Filho.

A campanha Química Solidária

O objetivo da campanha Química Solidária do Sistema CFQ/CRQs é articular e divulgar em todo país iniciativas para a produção do álcool líquido e álcool gel com o apoio de instituições de ensino, empresas, associações e profissionais da área da Química.

Importante destacar ainda que as atividades de produção obedecem a diretrizes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) firmados pela RDC 350/2020 e pela nota técnica que a seguiu, detalhando a autorização excepcional e temporária concedida no combate à Covid-19.

Vale salientar ainda que as atividades da Química Solidária estão sendo desenvolvidas com o mínimo possível de profissionais, uma vez que a orientação do Ministério da Saúde – e outras autoridades – é para que as pessoas fiquem em casa para evitar a disseminação do novo coronavírus.

Também fazem parte da campanha ações para orientar a população e combater notícias falsas.