Notícias

Química é indispensável até no fornecimento de energia elétrica

Saiba mais sobre o trabalho de profissionais que atuam no controle e manutenção de subestações

A energia elétrica é uma necessidade básica no dia a dia de qualquer pessoa. Mas o que pouca gente se atenta no cotidiano é que existem profissionais da Química trabalhando para garantir que ela chegue às nossas casas.

Isso mesmo. Até na geração de energia elétrica é indispensável o trabalho de um Químico. Quem nos lembra disso – e fala sobre este trabalho – é Darilena Monteiro Porfírio. Ela é analista química na Centrais Elétricas do Norte do Brasil, a Eletronorte/ Eletrobras, e trabalha em uma subestação de fornecimento de energia elétrica.

 

Ela explica que o trabalho do Químico é fundamental para garantir a produção de energia. “Nós fazemos os ensaios para avaliação dos transformadores das usinas e subestações. Por meio de ensaios físico-químicos e de gás-cromatografia, fazemos o perfil da condição de rigidez dielétrica do óleo e os gases dissolvidos no óleo isolante”.

Depois, com esse perfil, é avaliado o risco de defeitos internos, pontos quentes, arco elétrico e sobretensões na operação. “E, assim, apoiamos a manutenção em suas ações de prevenção de defeitos e buscamos evitar desde a indisponibilidade dos equipamento até as explosões dos transformadores”.

Além disso, o analista químico faz o perfil de metais nos óleos lubrificantes das turbinas, rotores, comportas, centralinas, mancais. Isso evita o desgaste das máquinas rotativas das usinas.

Darilena faz parte de uma equipe de quatro químicos, três engenheiros químicos e dois técnicos em Química que realizam ensaios químicos e físico-químicos diversos. Todos eles precisam ter conhecimentos aprofundados das normas e técnicas de ensaios de óleo mineral isolante, óleo lubrificante, águas e efluentes e materiais e corrosão.

Para fazer tudo isso, utilizam diversas técnicas analíticas. Os resultados obtidos são interpretados e encaminhados para as áreas de manutenção da empresa para manter a disponibilidade de equipamentos de geração e transmissão de energia em todos os estados onde atua.

Além desse trabalho no laboratório, são frequentes as idas a campo para coletas, treinamentos e atendimento às demandas das unidades da companhia em todos os demais polos de geração e transmissão.

A analista conta que se orgulha do trabalho que faz e sabe da importância dele para a vida das pessoas – apesar do trabalho aparecer pouco para o público. “É muito gratificante atuar numa área tão essencial para a sociedade. Porém, ao mesmo tempo, as pessoas nem sabem que existimos. Na rotina, quando a energia é entregue, ninguém se da conta de tudo o que é feito para garantir o fornecimento. Mas sabemos que somos essenciais para a energia chegue até cada um”, finaliza.

 

Ouça o Quimcast sobre o assunto: