Notícias

Profissionais de Química do MT participam do conselho superior do Instituto federal

A integração e o aprofundamento das relações entre os conselhos profissionais da Química e as instituições de ensino é um dos objetivos almejados pelo Sistema CFQ/CRQs. Neste sentido, o Conselho Regional de Química da 16ª Região (CRQ XVI), sediado em Cuiabá, comemora a inclusão de duas representantes dos profissionais da Química no Conselho Superior (Consup) do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT).

No mandato 2020/2022, a engenheira de alimentos Natalie Veggi será conselheira titular e a licenciada em Química Eliane Ferreira, suplente do Consup. Ambas são egressas do próprio IFMT, do campus Bela Vista (Cuiabá). A presença de duas representantes da Química é importante porque o Consup é o órgão máximo do Instituto, presidido pelo reitor e com caráter consultivo e deliberativo – contando com representantes de docentes, técnicos-administrativos, discentes, egressos, representantes da sociedade civil, do Ministério da Educação (MEC) e do Colégio de Dirigentes (Codir).

Em suma, ao Consup cabem as principais decisões relativas ao IFMT – sendo de vital importância a presença de conselheiros ligados à Química. Para a presidente do CRQ XVI, Suzana Aparecida da Silva, essa aproximação é vital para o alinhamento dos interesses dos profissionais da Quimica, da instituição de ensino e da sociedade: o IFMT é o principal formador na área da Química no Estado do Mato Grosso.

Suzana da Silva aponta bagagem e experiência das conselheiras

“O ingresso das duas profissionais no Consup é muito positivo para o CRQ XVI  porque é uma oportunidade de nos aproximarmos do IFMT, que é a formadora dos profissionais de Quimica. Participar desse órgão que vai aprovar e autorizar cursos, vai nos dar voz e entendemos que egressos desses cursos e hoje profissionais têm muito a contribuir porque trazem bagagem de experiência e podem sugerir melhorias nesses cursos. É positivo e significativo , acreditamos que podemos contribuir. Importante que as instituições estejam abertas, porque todos ganham”, afirma Suzana.

Ao site do CRQ XVI, Eliane afirmou que pretende atuar para qualificar a modalidade de ensino à distância (EAD) no IFMT.

“Eu sei o quanto o ensino à distância é um desafio para os alunos, mas também é uma grande oportunidade. Se não estou enganada a minha turma foi a primeira da área da Química nessa modalidade pelo IFMT e eu tenho muito orgulho de agora poder representar essa área junto ao Consup e também poder dar ainda mais voz ao ensino à distância dentro do Conselho”.

Natalie, por sua vez, destacou toda sua vivência no IFMT, passando por ensino médio, técnico, superior e mestrado, como diferencial de sua atuação no Consup.

“Espero poder ajudar a construir um caminho para a melhoria do ensino, incentivar ainda mais a pesquisa, e transmitir a minha experiência como ex-aluna e também como profissional”, assinalou a engenheira de alimentos.