Notícias

Produtividade dentro do teletrabalho foi o debate proposto na gestão de pessoas

Administração do tempo é o maior desafio no momento de transição das atividades

Na tarde de encerramento da Semana do Aprendizado 2020, nesta sexta-feira (18), foi o momento de tratar de um assunto muito em voga no cenário atual de pandemia global, máscaras e distanciamento social: a realidade do mercado laboral diante dos desafios impostos pela Covid 19.

Na palestra “Os desafios do Teletrabalho e as novas rotinas de trabalho”, ministrada pelo gerente de Gestão Estratégica de Pessoas do Conselho Federal de Química (CFQ), Bruno Goytisolo, e pelo gerente executivo, Renato Melo, o objetivo foi nivelar o conhecimento dentro de todo Sistema CFQ/CRQs no que diz respeito à adaptação do trabalho no Sistema a essa nova perspectiva.

Melo afirmou que a proposta é ir “um pouco além” da questão do teletrabalho.  “Procuramos um recorte para ferramentas de produtividade e trazer um pouco de nossa rotina de trabalho”, afirmou o gerente-executivo.

O gerente de Gestão Estratégica de Pessoas acredita que é possível evoluir agora, passado o primeiro impacto da mudança abrupta na rotina.

“Houve uma mudança muito brusca nas rotinas, o desafio agora é liderar as equipes de forma que a gente não pega esse vínculo que nos garante os resultados. É importante que todo mundo conheça as ferramentas que nos permitem agregar nesse sentido. Passamos por um movimento que demoraria cinco anos pra acontecer para algo que foi construído em 30 dias”, disse Goytisolo.

Ele apresentou ainda o que considera fatores críticos de sucesso no teletrabalho – alguns deles, do ponto de vista individual, como senso de prioridade, disciplina e gestão do tempo, outros na liderança dos times, como prioridade a uma comunicação assertiva, pactuação de prazos e distribuição equilibrada de responsabilidades.

“Entendemos que há inclusive tarefas que se desenvolvem melhor à distância. Como cada um de certa forma é seu próprio chefe, é importante que se tenha esse autoconhecimento, que cada um identifique uma rotina confortável e produtiva”, afirmou o gerente de Gestão Estratégica de Pessoas.

Em suma, o gerente executivo propôs reflexões sobre a produtividade. No campo prático, Melo enfocou o uso do celular, por exemplo.

“O uso de celular é um ponto muito importante. Se for mal utilizado, atrapalha muito, embora seja uma ferramenta sensacional. É preciso entender a capacidade do ser humano de prestar atenção, que exige certa tranquilidade. As notificações, por exemplo, podem roubar nossa atenção e a produtividade. É preciso ter isso em mente”, assinalou Melo.

Melo fez questão de orientar o debate para a questão prática. Ele apresentou reflexões sobre o uso da agenda eletrônica, ferramentas de gestão de afazeres, de processos. Ele comentou ainda o princípio de Pareto, que trata da relação entre a produtividade, o resultado e o tempo empregado – reafirmando que o aproveitamento adequado do tempo é um dos fatores mais importantes da produtividade, ainda mais fundamental no cenário do teletrabalho.

Pomodoro: como uma gestão correta do tempo incrementa produtividade

Goytisolo apresentou também a técnica Pomodoro, que propõe uma fórmula entre tempo de trabalho e de descanso a partir de clusters de 25 minutos, de entrega total e concentração. Depois, cinco minutos de pausa. Assim, sucessivamente, por quatro conjuntos de 25 minutos. Vem em seguida um descanso de 30 minutos e o ciclo se reinicia.

“Cada minuto é precioso e a gente tem que saber o que fazer com ele”, afirmou Goytisolo.

Outra técnica muito utilizada para gerir o tempo, trazida por Melo, é a PLADIM: um roteiro em passos montado em cima de um acrônimo: Pense em uma lista de compromissos e tarefas; Leia sua missão; Atribua importância a cada tarefa; Definição das prioridades; Imprevistos precisam ser considerados, deixe espaços livres na agenda e, por fim, Mentalização – a última ação antes de colocar a programação em marcha.

“É importante persistir. Às vezes, leva tempo até que a produtividade esteja alinhada àquilo que a gente considera o ideal. Mas, com o tempo, o incremento de produtividade para quem persiste nesses métodos é notável”, concluiu o gerente executivo.

Semana do Aprendizado 2020 conecta profissionais de todo o Sistema CFQ/CRQs

Um novo normal exige novos modelos de encontros e atividades. Se o momento pede união, integração e conhecimento, nada melhor do que cinco dias de atividades com participação de colaboradores de Norte a Sul do país. De 14 a 18 de setembro, mais de 200 profissionais de todo o Sistema CFQ/CRQs estiveram conectados. Eles trocaram experiências nas 20 atividades, além da abertura e do encerramento, da segunda Semana do Aprendizado.

No encerramento do evento, o presidente do Conselho Federal de Química (CFQ), José de Ribamar Oliveira Filho, disse estar alegre e satisfeito com o que ele chamou de espetáculo de Semana.
Ele reafirmou o compromisso de implementar o sistema digital em todos os CRQs, auxiliando aqueles regionais de menor receita para que também possam aderir ao novo formato. “Acredito, que seja muito importante essa digitalização porque nós teremos acesso a todos os processos do sistema na palma da mão, em tempo real. Agradeço a todos. Muito obrigado por participarem”.

O gerente executivo do CFQ, Renato Melo, enfatizou a importância do alinhamento organizacional e do investimento nas pessoas. “Além disso, precisamos investir em tecnologia, em ferramentas e em processos inovadores. Este foi o recorte da Semana do Aprendizado neste ano, digital e com o envolvimento de todos que formam o Sistema”.

A presidente do Conselho Regional de Química da 1ª Região (CRQ I), Sheylane Luz, agradeceu pelos treinamentos e somou um comentário à fala do presidente do CFQ.

“Que bom que estamos abertos ao novo. Hoje, a motivação de todos é diferente, pois há dois ou três anos não imaginávamos que isso pudesse acontecer. Que bom que esse novo tempo chegou, com esse novo modo de fazer, com muito entusiasmo, com valorização dos profissionais”, frisou.

A Semana do Aprendizado foi criada com o objetivo de investir nas pessoas e aproximar os entes que formam o Sistema. Com o slogan “Um Sistema com DNA Digital”, as atividades, voltadas somente para os profissionais e membros do Sistema CFQ/CRQs, foram totalmente online em função da pandemia da Covid 19.