Notícias

Papel do profissional sanitarista é tema de webinar

Especialistas abordaram a importância da profissão no cenário pós-pandemia da Covid-19

 

No dia do Engenheiro Sanitarista (13 de julho),  José Antônio Monteiro Ferreira, membro  da Comissão do Meio Ambiente do Conselho Regional de Química da IV Região (CRQ IV), desde a criação, participou como palestrante do webinar gratuito promovido pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES), no seu canal do YouTube.

Representante da Química no webinar, José Antônio é Engenheiro Químico com especialização em Engenharia Sanitária e Ambiental. Ele debateu o papel do profissional sanitarista e o cenário pós-pandemia da Covid-19 com o diretor nacional da ABES, Álvaro José Menezes da Costa, e com o coordenador do programa Jovens Profissionais do Saneamento, André Horta. A conversa contou com a moderação de Josivan Cardoso Moreno, da Câmara Temática de Recursos Hídricos da ABES.

A evolução da profissão ao longo dos anos foi um dos pontos da conversa. Álvaro Meneses contou que, há algumas décadas, os engenheiros sanitaristas obtinham o título por meio de especialização, e que a necessidade e a importância do ofício culminaram na criação de uma graduação.

“Antigamente, eram engenheiros que faziam uma pós-graduação. Hoje a gente conta com profissionais formados em Engenharia Sanitária. Isso mostra a evolução da cadeia profissional e das necessidades da população. E, um momento de pandemia como a que estamos vivendo, a população vê a importância desse profissional e tem mais clareza da importância dele para a saúde pública”.

Para José Antônio Monteiro, a evolução na profissão é clara. Segundo ele, o maior problema atual da água é a contaminação por esgoto, e o papel desse profissional é fundamental para alcançar soluções.  “É preciso estar atualizado com novas tecnologias. Hoje temos sistemas convencionais nas estações de tratamento de água, e me parece pouco para o tipo de contaminação que se tem. Isso para o profissional é um grande desafio. Todos os dias, temos novas questões a solucionar, tecnologias, processos, uma busca pelo menor preço”.

André Horta também crê que a atualização e o domínio de ferramentas são fundamentais para o profissional da área. Ele ressalta que o papel do sanitarista vai muito além do perfil técnico. “O sanitarista promove um direito humano que é o saneamento. Ele lida com a qualidade de vida da população, seja para uma empresa, pessoa individual, bairro, metrópole”. Álvaro Meneses acrescenta: “Precisamos de profissionais que entendam que o papel dele é diferenciado e há diferentes formas de trabalhar, dadas às nossas desigualdades sanitárias e regionais”.

Cenário pós-pandemia

Um ponto de consenso entre os participantes do webinar é que a pandemia trouxe à tona a falta de investimento e a necessidade de saneamento para a população como um todo.

“A crise sanitária que estamos vivendo deixa muito claro que se tivéssemos um sistema eficiente de água e esgoto, a amplitude do problema hoje seria menor. A Covid-19 escancarou que temos um marco de saneamento, mas também temos uma grande diferença econômica entre os brasileiros. A doença veio mostrar o que deixamos de fazer e que a universalização tem que ser igual para todos. É importante abrir os olhos para que os erros do passado possam ser de fato corrigidos”.

No campo da prática profissional, André Horta pensa que a pandemia trouxe novas práticas e exigências que vieram para ficar. “O telebrabalho e outras mudanças exigem uma rápida mudança e geram desafios e oportunidades. Quem tiver mais condições de adaptação terá mais desenvolvimento na carreira. Outro ponto em que acredito é que o saneamento vai deixar de ser visto como gasto e será visto como investimento”.

Já Álvaro acredita que o futuro pós-crise está nas mãos da sociedade. “A valorização dos serviços que prestamos sob o olhar da crise da Covid é olhar o saneamento como algo que pertence à sociedade. Exigir melhor qualidade da prestação de serviço é uma tarefa de todos”.

A ação é fruto de uma parceria entre a ABES e o CFQ para a comemoração do Dia do profissional sanitarista, função exercida por muitos profissionais da Química.