Notícias

Olimpíadas de Química premiam os estudantes que mais se destacaram em 2019

Mais de 800 estudantes serão homenageados nesta sexta-feira (29/11), em São Paulo, por conta de seus esforços e profundos conhecimentos em Química. Eles são os vencedores do Programa Nacional Olimpíadas de Química, que há 25 anos busca identificar talentos para a Química e estimulá-los a aprofundar seus estudos na área, contribuindo, assim, para o desenvolvimento da ciência.

A Olimpíada Brasileira de Química é um evento de cunho competitivo, que anualmente se inicia no mês de agosto para estudantes dos ensinos fundamental, médio e superior. Os primeiros colocados têm seus nomes inseridos na galeria de honra do troféu. Os quinze estudantes de maior destaque são convocados para participar do Curso de Aprofundamento e Excelência em Química, ministrado por professores do curso de pós-graduação em Química de uma das universidades participantes, de onde se escolherá a equipe que representará o Brasil na Olimpíada Internacional de Química e na Olimpíada Ibero-americana de Química.

“Muitos dos alunos medalhistas se sentem prestigiados e estimulados a continuarem seus estudos até títulos mais avançados, como mestrado e doutorado. Hoje, inclusive, temos vários ex-olímpicos que são professores universitários e continuam colaborando no estímulo de seus alunos. Outros se tornaram coordenadores regionais da Olimpíada”, explica o coordenador nacional do programa, professor Sérgio Melo. Todos os vencedores do torneio, que alcançaram a nota mínima estipulada pela coordenação, recebem medalha e certificado de participação.

Superação

Muitos dos participantes das Olimpíadas possuem uma ligação afetiva com o torneio. Como o engenheiro químico Raul Bruno Machado da Silva. Criado na periferia de Fortaleza, com poucos recursos, ele participou da então recém-criada Olimpíada Brasileira de Química Júnior, em 2008, onde obteve o primeiro lugar geral. Segundo ele, a oportunidade também serviu como um passe para o que viria a ser uma experiência profundamente transformadora em sua vida.

“Mais do que aprofundamento científico, as Olimpíadas me trouxeram a possibilidade de forjar amizades e interagir com meus professores numa dimensão que transpunha a relação tradicional em sala de aula. Meu mundo virou do avesso, literalmente, quando fui selecionado para compor a delegação brasileira na 42ª IChO, em Tóquio, no Japão”, relembra. Motivado com os resultados, Raul formou-se em Química pela Unicamp. Logo após, cursou engenharia química na École Nationale Supérieure de Chimie de Paris, França, e agora está na fase final do doutorado no Instituto de Tecnología Química da Universidad Politécnica de Valencia, na Espanha, na área de catálise e valorização de recursos energéticos renováveis.

A estudante Lígia Oliveira Toscano de Melo também tem um carinho especial pelo torneio. “As Olimpíadas de Química me abriram as portas para o mundo e me ensinaram também a vê-lo de uma outra maneira”, define. Em 2016, ela ganhou a medalha de ouro na competição e no ano seguinte participou da Olimpíada Internacional de Química (IChO) e na Olimpíada Ibero-americana de Química (OIAQ). Atualmente, ela estuda engenharia química e escrita criativa na Universidade de Stanford, na Califórnia. “Foram momentos especiais para os quais eu tinha me dedicado muito e os quais eu nunca esquecerei. Penso em como, sem as Olimpíadas, eu seria uma pessoa totalmente diferente e no quanto estou feliz com a pessoa que me tornei. Por isso, serei sempre grata ao Programa das Olimpíadas de Química”, declarou.

Os estudantes que não puderem comparecer na solenidade terão suas premiações recebidas pelos coordenadores estaduais ou coordenadores das escolas presentes na ocasião. Os certificados poderão ser baixados no site obquimica.org a partir de dezembro e as medalhas estarão à disposição nas coordenadorias estaduais.

Serviço:

Solenidade Nacional de Premiação – OBQ

Data: 29/11/2019

Horário: a partir das 18 horas

Local: Auditório FEA-5 da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (USP) (Av. Prof. Luciano Gualberto, 908, Cidade Universitária, Butantã – SP)