Notícias

Novo presidente do CRQ do MS: “Só com um Sistema forte a gente dá segurança para as empresas, aos profissionais e à sociedade”

O Conselho Regional de Química da 20ª Região (CRQ XX – Mato Grosso do Sul) conta com um novo presidente: Luiz Mário Ferreira. Ele assume o comando do CRQ XX em substituição a Luiz Miguel Skrobot Junior, eleito conselheiro federal de Química como representante do Mato Grosso do Sul.

Ferreira é formado pela Universidade Federal do Mato Grosso do Sul e tem atuação na área ambiental. Ele mantém um laboratório especializado em análises físicas e químicas de águas e efluentes industriais.

“Fui me apaixonando pela Química e pela área ambiental”, afirma Luiz Mário.

Ferreira atua junto ao CRQ XX desde a sua criação, tendo iniciado sua participação no Sistema CFQ/CRQs ainda no CRQ IV, de São Paulo, responsável na época também pelo Mato Grosso do Sul.

“Militávamos pelo fortalecimento da Química no Mato Grosso do Sul e eu apoiei na época o nosso ex-presidente e alguns professores. Assim foi possível criar o CRQ XX, iniciei como conselheiro suplente, passei a efetivo e, a partir daí, participei da diretoria. Agora, assumo este desafio no mandato de um ano”, disse o novo presidente

Ferreira identifica entre os desafios na gestão do CRQ XX melhorias na infra-estrutura – o que deve ser mitigado em breve, com a aquisição de uma nova sede a partir de um convênio com o Conselho Federal de Química (CFQ). Outro ponto focal da nova gestão deve ser a fiscalização, com viés mais orientativo que punitivo, nas palavras do presidente.

“Temos fortalecido bastante a questão da fiscalização, não apenas no sentido de restringir e punir, mas principalmente para identificarmos os profissionais e indústrias da área da Química e trazê-los para a legalidade. Mostrar que estamos presentes dando segurança a quem produz e principalmente ao povo do Mato Grosso do Sul”, salienta Ferreira.

Diante dos desafios de desenvolver a Química sul-mato-grossense, o novo presidente conta com o apoio do Sistema CFQ/CRQs.

“É um desafio bastante grande para mim. Entendo que a união e o fortalecimento do Sistema é de grande importância. Meu trabalho agora é conhecer o trabalho dos regionais e construir essa afinidade com o Conselho Federal. Só com um Sistema forte a gente dá segurança para as empresas, aos profissionais e à sociedade”, conclui.