Notícias

Nova coordenação: presidente do CRQ do Espírito Santo assume o Colégio de Presidentes

Em reunião na última sexta-feira, o Colégio de Presidentes do Sistema CFQ/CRQs (COPRESI) deu posse a sua nova coordenação: no cargo desde a criação do COPRESI, em 2018, o presidente do Conselho Regional de Química da 14ª Região (CRQ XIV), Gilson da Costa Mascarenhas, passou a coordenação do colegiado ao presidente do CRQ XXI, Alexandre Vaz Castro, para um mandato de dois anos.

Vaz Castro, que preside o CRQ do Espírito Santo, terá como coordenadora-adjunta a presidente do CRQ XVI (Alagoas), Maria de Fátima da Costa Lippo Acioli, e como secretária-geral a presidente do CRQ XIX (Paraíba), Raquel Lima. Ele saudou a forte presença feminina na nova gestão do COPRESI e salientou que objetivo é estabelecer um trabalho de continuidade em relação à coordenação de Mascarenhas.

“Nossa primeira pauta é dar continuidade ao trabalho da primeira coordenação, do presidente Gilson Mascarenhas. Ele conduziu de forma brilhante o Colégio de Presidentes e nos passou em totais condições de dar continuidade”, afirmou Vaz Castro.

Vaz Castro enaltece presidente do CFQ, entusiasta do trabalho do COPRESI

Ele aproveitou ainda para agradecer o apoio recebido do presidente do Conselho Federal de Química (CFQ), José de Ribamar Oliveira Filho, que fez questão de parabenizar os integrantes do COPRESI pelo ambiente prolífico gerado no colegiado, em favor do crescimento do Sistema CFQ/CRQs. “Foi na atual gestão, do presidente José de Ribamar, que se constituiu o COPRESI. A atuação dele no estabelecimento desse diálogo foi fundamental”, afirma.

Vaz Castro destacou que o apoio dos colegas presidentes dá a ele as condições para que o COPRESI siga sua evolução.

“Meu agradecimento aos colegas presidentes que acreditaram em mim para dar continuidade ao nosso trabalho. Estou muito animado, motivado cada vez mais para mostrar ao Sistema CFQ/CRQs que os presidentes estão sensíveis às questões coletivas, cada vez estamos mais unidos”, assinalou.

O novo coordenador elencou ainda o que considera prioridades para o COPRESI em sua pauta para os próximos meses. O COPRESI pretende atuar junto ao CFQ para contribuir na elaboração das resoluções normativas que dizem respeito aos CRQs. Visto que a atividade-fim, de fiscalização, se desenrola nos Estados, eles entendem que contribuir na construção das resoluções pode facilitar na aplicação das mesmas na “ponta da linha”, nos próprios CRQs.

Encontro de Fiscais discutirá o Plano Nacional de Fiscalização

Outra deliberação já tomada pelo COPRESI é a realização do segundo Encontro de Fiscais do Sistema CFQ/CRQs. O COPRESI pretende que o evento, online, seja realizado ainda em 2020 e que tenha a organização paralela entre os CRQs e o CFQ. A proposta é que, no evento, seja debatido o Plano Nacional de Fiscalização, conjunto de normas e práticas que se propõem a qualificar e padronizar atos relativos à área finalística em todo país. O evento ainda não tem data definida.

“Esse encontro será importantíssimo, e como somos nós os entes que fiscalizam, é mais importante ainda que estejamos presentes. Podemos focar naquilo que hoje estamos enfrentando, no dia a dia”, destaca Vaz Castro.

Proximidade com CRIG será ampliada na nova coordenação

Outra pauta que ganha destaque dentro do COPRESI é a proximidade dos presidentes com o trabalho desenvolvido pelo Comitê de Relações Institucionais e Governamentais (CRIG) do CFQ. O novo coordenador também integra o CRIG e é um entusiasta do trabalho realizado pelo comitê.

“Com o CRIG, queremos ampliar a participação dos presidentes dos CRQs na construção de pautas estruturantes para o Sistema. Somos demandados pelo CRIG em pautas que impactam as atividades que estamos desenvolvendo nos Estado. Pretendemos contribuir mais, recebendo e também propondo essas pautas”, afirma.

O COPRESI prevê realizar reuniões gerais trimestralmente, preferencialmente nos meses de março, junho, setembro e dezembro – sem prejuízo de outros encontros extraordinários, se necessários. O COPRESI se propõe ainda a ampliar as medidas de comunicação social, para mobilizar os públicos de interesse junto ao CFQ e aos conselhos regionais. O mandato da nova coordenação se desenrolará até 2022.