Notícias

No Encontro de Comunicação, palestrante ensina o que fazer para figurar bem nas buscas do Google

No Encontro de Comunicação, parte integrante da Semana do Aprendizado, a terça-feira à tarde foi dedicada à apresentação de Arturo Juliano intitulada Copywrite e SEO: como escrever para se posicionar no Google. Arturo é publicitário, pós-graduado em Gestão Estratégica da Informação e Administração e Marketing e possui 20 anos de experiência, especialmente em comunicação corporativa.

Arturo apresentou ao público da Semana do Aprendizado dicas simples e práticas de como fazer para que o conteúdo produzido pelo Sistema CFQ/CRQs e disponibilizado na internet figure bem nos mecanismos de busca da rede e seja acessado por mais pessoas, com maior relevância.

Algoritmo e simplicidade levaram o Google ao topo

A uma audiência nem sempre familiarizada com o jargão da internet, Arturo começou a apresentação falando dos antepassados dos buscadores – páginas como Yahoo, Cadê e Altavista, muito relevantes nos primórdios mas que foram suplantadas pelo Google ao longo do tempo.

“Os buscadores até 2003, quando o Google começou a dominar o mercado, exigiam que o usuário soubesse em que parte da internet estava o que ele procurava, por exemplo, se era na parte de Arte, Saúde, Tecnologia ou etc. O Google revolucionou na época porque era mais simples”, explicou.

SEO permite que cada usuário receba informações personalizadas

A ideia de algoritmo, que hoje rege esses motores de busca, estava na pré-história até o surgimento do Google. O conceito de que cada pessoa, ao digitar a mesma consulta no Google, receberá como resposta informações personalizadas e georreferenciadas, revolucionou o uso dessas ferramentas. Para isso, exigem um método especial de exposição dos dados publicados. Um fator a se observar, no entendimento de Arturo, são as circunstâncias do acesso dos usuários atualmente.

“Em 2019, 63% dos acessos foram realizados de dispositivos móveis. Em 2021, esse número é muito maior. Então, na hora de criar um site ou publicar um conteúdo, precisamos pensar no “mobile” primeiro”, disse.

Arturo lembrou que, há alguns anos, se exigia que os sites fossem “responsivos”, ou seja, elaborados para os desktops mas capacitados para a visualização nas telas pequenas.  Hoje, mesmo esse conceito ficou para trás.

“Em maio de 2016 o Google atualizou seu algoritmo, que passou a melhorar significativamente as posições dos sites adaptados a dispositivos móveis nos rankings dos resultados de busca”, recorda.

Referências e links fazem ferramenta avaliar melhor o conteúdo

O palestrante defendeu que o sucesso junto ao Google é diretamente relacionado ao entendimento dos hábitos que o usuário que se quer atingir possui. Ele lembrou que existem ferramentas na internet que ajudam quem publica conteúdos a identificar fragilidades no seu site. Por meio dessas essas estruturas, há como melhorar o ranqueamento.

“Pergunte-se sempre onde as pessoas que eu quero atrair passam o tempo e sobre o que elas falam”, assinala, como mandamento.

Algumas sugestões para aumentar a audiência no Google são práticas, simples e lógicas. Um exemplo é ter em mente que são mais consumidos os conteúdos referenciados por mais páginas, interna e externamente.

“Use e abuse de links internos e mesmo externos, o Google bate palmas para isso! Sejam sempre conteudistas referenciados”, aponta.

Redes sociais servem para direcionar tráfego para seu site

Arturo defendeu que, ainda que as redes sociais sejam mais valorizadas hoje em dia, possuir um site próprio é fundamental, uma vez que é ele o repositório dos conteúdos produzidos. As redes, reforça, servem para levar o tráfego para o site e demandam igualmente atenção e técnica:

“Suas redes sociais são a porta de entrada para seu site, então crie um plano de publicação semanal e publique naquelas redes onde seu público de interesse está. Use conteúdo relevante e, se for possível, vincule seu conteúdo aos temas mais atuais. Seja frequente, interaja sempre e direcione para o seu site”.