Notícias

Inovação e Marketing: desenhando saneantes para o consumidor do futuro

O que esperar dos produtos saneantes num futuro próximo, e como está acontecendo a evolução destes itens de limpeza tão essenciais? Para falar sobre este tema e muito mais, o Conselho Regional de Química da 4ª Região (CRQ IV) convidou no último dia 7 para uma live, no seu perfil no Youtube, o químico Jefferson Guilherme Nascimento Santos.

Segundo o químico, os produtos evoluem com as preferências do consumidor, oferecendo comodidade e poupando tempo de trabalho humano. Santos considerou que quem ficou em casa durante a pandemia percebeu a necessidade de limpar mais os cômodos, que antes ficavam fechados e sem uso. 

Ainda, o químico ressaltou que houve um aumento das vendas de robôs de limpeza, assim como crescimento na utilização de saneantes especiais para serem usados nessas máquinas, e em aplicação para pisos e janelas. Para completar, Santos prenunciou que os produtos de limpeza vão evoluir para essa utilidade em robôs.

“Esses aparelhos estão cada vez mais interferindo nas soluções saneantes que são utilizadas na limpeza de ambientes. Pode ser que os fabricantes de instrumentos de limpeza venham a direcionar a inovação de produtos”, afirmou.

Uma outra tendência é a busca por produtos naturais e de conceito sustentável. Conforme o especialista, a inovação de saneantes acontece de maneira a desinfetar locais, com o surgimento dos robôs de limpeza e substâncias químicas, com eficiência, segurança e fonte renovável. 

“Os espaços públicos estão buscando tranquilizar seus clientes com novos protocolos de higiene, limpeza e desinfecção de ambientes e superfícies. Os procedimentos vão desde tapetes umedecidos com soluções biocidas, tratamento de sistemas de ar-condicionado e oferta abundante de álcool gel. Vamos ter que contornar outras crises sanitárias”, revelou Jefferson.

O químico faz a argumentação de que o marketing deve ser aliado ao desenho do produto, nunca desprezar as considerações técnicas, e ter como viés criar vínculos com o consumidor. 

De acordo com o mediador do evento, Assesio Fachini Junior, mestre em Química pela Universidade de São Paulo (USP) e membro da Comissão Técnica de Saneantes do CRQ IV, o mercado de saneantes vem se estabelecendo como um segmento forte, pungente e cada vez mais regulado, seja de uso doméstico ou profissional, dentro de outros setores, seja hospitalar ou industrial. “A empresa que se propõe a fazer um produto saneante, precisa saber que seus produtos são regulados e seguem uma responsabilidade social”, acrescentou.

Jefferson Santos, que participou de treinamentos e desenvolveu uma carreira internacional ligada à inovação, desenvolvendo novos produtos e negócios em diversas áreas da Química (Higiene e Limpeza, Cuidados Pessoais, Aromas e Fragrâncias, Alimentos, Indústria Farmacêutica e Química Fina), enfatizou que a legislação precisa evoluir.

“Se no passado a gente pensava que precisava de novas ideias, agora, numa visão moderna, temos que refletir como podemos mudar a perspectiva aos negócios, a essência para novos mercados e oportunidades. Pensar mais como Jetsons e menos como os Flinstones”, finalizou Jefferson Santos, em sua apresentação on-line.

Comissões Técnicas do Sistema CFQ/CRQs

As comissões técnicas do Sistema Conselho Federal de Química e Regionais (CFQ/CRQs) têm por objetivo dar suporte e uma visão do mercado químico. São elas as responsáveis por respaldar as atividades do Sistema CFQ/CRQs, assim como auxiliar na condução dos trabalhos e nos temas que estão sendo discutidos no setor químico e no mercado profissional. 

Os profissionais que atuam no mercado trazem para as comissões técnicas os bastidores do universo, aproximando o Sistema CFQ/CRQs do contexto de mercado e, assim, afirmando sua missão de zelar pelos interesses da sociedade relacionados às questões da Química.

Assista à live em https://www.youtube.com/watch?v=nXgjU9d128Y