Notícias

Demanda por álcool gel intensifica fiscalização no CRQ de Pernambuco

Para garantir a eficácia dos produtos comercializados e evitar a falsificação, o Conselho Regional de Química fiscaliza estabelecimentos que fabricam os itens

Com o crescimento da demanda por produtos para combater a Covid-19, o Sistema CFQ/CRQs vem intensificando as ações de fiscalização nas empresas com atividades industriais relacionadas à produção de álcool gel. O intuito é garantir a eficácia dos produtos e zelar pela segurança da população.

Na última terça-feira (30), o Conselho Regional de Química da 1ª Região (CRQ I) realizou a fiscalização em três empresas que atuavam na produção e comercialização de álcool a 70% no município de Vitória de Santo Antão. O trabalho resultou na interdição de uma das empresas. Em outra, houve a apreensão dos produtos que estavam sendo fabricados de forma clandestina.

A ação do CRQ I foi realizada em parceria com a Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (Apevisa) e a Vigilância Sanitária do município de Vitória de Santo Antão, e teve reforço da Polícia Militar.

A chefe de fiscalização do CRQ I, Ana Catarina Gomes de Amorim, conta que, durante a pandemia, o trabalho de fiscalização está sendo mais volumoso e ainda mais necessário para garantir a segurança dos consumidores.

“Em nosso estado, além das empresas de saneantes e cosméticos que já produziam o referido álcool, empresas de tintas, cervejarias e até mesmo novas empresas surgiram no mercado para produzir o álcool 70%, trazendo novos registros para o CRQ-1, e, consequentemente, aumentando as ações de fiscalização”, explica.

O trabalho de fiscalização dos Conselhos Regionais de Química consiste em acompanhar a regularização das empresas perante os órgãos responsáveis, as condições e estrutura do local de fabricação, as autorizações para fabricação e a presença de um responsável técnico da área da química, além de verificar como estão as identificações nos rótulos.

No caso do CRQ I, eles estão ainda realizando parcerias de fiscalização quando necessário com a Vigilância Sanitária do estado e dos municípios, participando inclusive de interdições de empresas e apreensões.

Catarina ressalta que, ao comprar o álcool gel, os consumidores devem ficar atentos às informações que precisam constar no rótulo. São elas: dados do fabricante, concentração do álcool, nome e número de registro do responsável técnico, data de fabricação e validade, além de indicações de uso e advertências.

Em caso de dúvidas ou desconfiança, o consumidor pode contatar o Conselho Regional do seu estado. Confira aqui vídeo produzido pelo Conselho Federal de Química sobre tema.