Notícias

CRQ IV (SP) multa e denuncia ao Ministério Público “químico autodidata”

Sem habilitação profissional, homem espalhou informações inverídicas sobre a eficácia do álcool em gel

 

A pandemia da Covid-19 nem havia sido decretada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), e informações inverídicas sobre diversos assuntos relacionados à doença eram disseminadas pela internet.

Um dos casos mais notórios, ocorrido em fevereiro de 2020, foi o vídeo em que Jorge Gustavo Afecto, autointitulado “químico autodidata”, afirmava que o álcool em gel não possuía propriedades antissépticas e deveria ser substituído por vinagre como agente de desinfecção contra o novo coronavírus. Ao tomar conhecimento do fato, o Sistema CFQ/CRQs agiu imediatamente para esclarecer as inverdades. Para isso, divulgou Nota Oficial sobre o assunto e vídeos educativos. Além de orientar a população, um processo administrativo foi instaurado no Conselho Regional de Química da 4ª Região (CRQ IV), em São Paulo.

Trecho do vídeo

No vídeo, Afecto contrariava todas as recomendações das autoridades sanitárias e da própria OMS, colocando em risco a saúde da população que buscava ansiosamente métodos para combater o vírus que ainda nem havia sido confirmado no Brasil.

O Conselheiro Federal do CFQ e superintendente do CRQ IV, Wagner Contrera Lopes, lembra que, tão logo foi identificado o indivíduo, um agente fiscal foi destacado para fazer uma diligência até o local. Afecto confirmou ser o autor do vídeo e afirmou ter baseado sua afirmação no seu conhecimento como comprador de insumos químicos e vendedor de produtos de higiene e limpeza. “Ele se disse arrependido, uma vez que a publicação gerou repercussões negativas em sua vida, mas manteve a afirmação de que o vinagre seria melhor do que o álcool. O que ele fez foi um enorme desserviço público, uma vez que o conteúdo incitava pessoas a seguir suas recomendações, mesmo ele não tendo capacitação profissional para isso”, enfatizou.

Exercendo seu serviço fiscalizatório de exercício da profissão e zelando pela saúde e bem-estar da população, o CRQ IV apresentou uma notícia-crime, que está em andamento, contra o autor do vídeo ao Ministério Público Estadual (MPSP). Além disso, um processo administrativo por exercício ilegal da profissão foi instaurado internamente. Segundo Lopes, o indivíduo não se manifestou ou apresentou defesa em nenhuma das fases do processo.

Devidamente citado e não havendo defesa, o indivíduo foi declarado revel, e o Plenário do Conselho definiu, em sessão no dia 15 de dezembro, pela aplicação de uma multa no valor de R$ 2.500,00.

Combate à desinformação

Desde o início da pandemia, o Sistema CFQ/CRQs, além do trabalho de fiscalização da atuação profissional, atua no combate à desinformação, um dos pilares da campanha Química Solidária.

Foram divulgados 16 vídeos (animações), assim como notas técnicas, cartilhas e podcasts para explicar e orientar a população sobre as formas de prevenção à Covid-19. Os conteúdos audiovisuais produzidos pelo CFQ ensinam a população a utilizar, por exemplo, o álcool em gel e água sanitária no combate ao novo coronavírus.

Entre março e junho deste ano, foram publicadas mais de 130 matérias em veículos de imprensa sobre a campanha Química Solidária (uma média de uma por dia), com destaque para Jornal Nacional, Globo News, Jornal da Record, Estadão, Mais Você, Agência Brasil e UOL.

Em parceria com a Associação Brasileira das Indústrias de Higiene, Limpeza e Saneantes (Abipla), o Sistema publicou também uma nota conjunta em que apontava a falta de fundamentos científicos que sustentem a eficácia dos túneis de desinfecção que começaram a ser instalados em todo país sob a expectativa de combater o novo coronavírus. A nota foi acolhida e corroborada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que publicou documento em que reafirma a falta de lastro científico para a prática.

Outro pilar fundamental da Química Solidária foi a produção de álcool 70% para doação a entidades filantrópicas, ajudando a proteger milhares de pessoas e freando a disseminação do vírus. Foram produzidos mais de 100 mil litros do produto graças à parceria entre os CRQs, profissionais, associações, empresas e universidades.

 

Saiba mais sobre a campanha:

Química Solidária