Notícias

CRQ do Paraná participa de operação para fiscalizar nitrato de amônio no Porto de Paranaguá

O Conselho Regional de Química da 9ª Região (CRQ IX), que atua no Paraná, participou de uma operação conjunta de fiscalização sobre o manuseio e armazenamento do nitrato de amônio junto ao Porto de Paranaguá, no litoral do Estado.

A operação, liderada pelo Exército, através da Divisão de Fiscalização de Produtos Controlados da 5ª Região Militar, contou com a participação também da Polícia Militar do Paraná, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e Guarda Municipal de Paranaguá.

A iniciativa se deu por orientação do comando do Exército, em Brasília, ainda em repercussão à explosão de um armazém de nitrato de amônio em Beirute, Líbano, no começo de agosto. Na ocasião, morreram pelo menos 191 pessoas. Segundo o agente fiscal do CRQ IX Carlos Nunes, o Paraná conta com um comitê permanente para a gestão dos produtos químicos considerados perigosos, envolvendo vários órgãos de segurança, controle e fiscalização – entre eles o próprio conselho regional. .

“Na operação, o que buscamos foi verificar qual era a situação de conservação dos depósitos em si. Como era feita a armazenagem, se seguia as regras de protocolos de segurança do Exército principalmente. Foi feito uma vistoria e verificado as condições das instalações se tinham equipamentos de segurança, planos de emergência, combate a incêndio e etc”, afirma o agente fiscal.

Nunes afirma ainda que o trabalho no CRQ ainda prossegue, pois cabe ao Sistema CFQ/CRQs averiguar se as empresas visitadas estão com seus registros em dia, assim como os responsáveis técnicos apontados.

“Ações como essa são de grande importância, aproximam os órgãos de fiscalização e estreitam as relações. Se as informações são compartilhadas, o trabalho de fiscalização fica muito mais fácil e efetivo”, complementa.

CRQ IX reforça importância da prevenção na proteção à sociedade

Já para a vice-presidente do CRQ IX e chefe da Fiscalização, Andréa Cristina Delgado Piluski, o caráter preventivo do trabalho do Sistema CFQ/CRQs nem sempre é percebido pela população.

“Nosso objetivo é atuar de forma preventiva, exigindo que as empresas sejam registradas no CRQ e que tenham  profissionais da área da Química que conheçam os processos. Assim, através deste conhecimento, eles podem contribuir para que sejam evitados desastres como ocorreu em Beirute”, afirma a vice-presidente.

E Andréa complementa:

“A fiscalização do CRQ IX trabalha para que a sociedade tenha acesso a produtos e serviços de qualidade, com padrão elevado. Estas fiscalizações em conjunto potencializam as forças dos órgãos envolvidos e expõe o rigor com que cobramos o atendimento à legislação por parte das empresas”.