Notícias

Conselho Regional de Química inaugura nova sede em Recife

A partir desta sexta-feira (26/07), o Conselho Regional de Química da 1ª região (CRQ I), em Recife (PE), passará a funcionar em um novo endereço. A nova sede foi viabilizada graças à parceria com o Conselho Federal de Química (CFQ), que firmou um convênio de R$ 5,9 milhões para a aquisição do imóvel, localizado em um moderno prédio na Ilha do Leite, próximo à Avenida Agamenon Magalhães.

A iniciativa faz parte das novas diretrizes do CFQ, que prevê uma série de ações e medidas que visam a reestruturação dos CRQs pelo país. Pernambuco foi o primeiro estado a sediar um Conselho Regional de Química, em 1957. Na época, a Resolução Normativa Nº 2 do CFQ dividiu o território nacional em sete regiões, que constituíram as zonas de jurisdição dos Conselhos de Química, situando o estado do Ceará na 1ª Região, com sede na cidade de Recife.

Para a presidente do CRQ I, Sheylane Luz, a mudança significa um salto de qualidade para a categoria, para os colaboradores e para a sociedade pernambucana. “Estamos muito satisfeitos com essa conquista. A antiga sede já não comportava o volume de trabalho que temos, além de apresentar problemas estruturais que comprometiam nossa segurança. Agora teremos condições de atender melhor nossos profissionais e empresas”, comemora.

Momento Q

A solenidade de inauguração acontecerá às 18h30. Antes, haverá uma apresentação do coach Jairo Martiniano, que fará uma palestra motivacional ao publico presente. Hipnoterapeuta com formação Neurosemântica, Jairo já foi executivo e consultor de empresas como Philips Brasil, Grupo Brennand, Asa Indústria, Ambev, Bompreço entre outras. A palestra faz parte do Momento Q, série de ações de integração do Sistema CFQ/CRQ em comemoração ao Dia Nacional do Químico, celebrado em 18 de junho. A programação passou anteriormente por Goiânia (GO), Vitória (ES), Rio de Janeiro (RJ), Maceió (Alagoas), Fortaleza (CE), São Paulo (SP) e Salvador.

A Indústria Química em Pernambuco

Segundo dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Pernambuco possui PIB industrial de R$ 28,4 bilhões, equivalente a 2,5% da indústria nacional, e emprega 285.796 trabalhadores na indústria. É o décimo maior PIB do Brasil, com R$ 144 bilhões. Os setores Químicos e de derivados de petróleo/biocombustíveis representam 13,7% da indústria local. Inclusive, segundo a Confederação, derivados de petróleo e biocombustíveis foi a atividade que mais ganhou participação na indústria do Estado: aumentou 5,7 pontos percentuais entre 2007 e 2016.

O Complexo Industrial de Suape abriga a maior parte desses investimentos. Localizado em Ipojuca, a cerca de 50 quilômetros do Recife, ele consiste em um composto do porto, polo petroquímico, siderúrgico e automobilístico. Possui mais de 100 empresas instaladas e em implantação e gera 20 mil empregos diretos. Os investimentos privados são da ordem de cerca de R$ 50 bilhões. No Polo Petroquímico de Suape está o maior empreendimento do Complexo: a Refinaria Abreu e Lima, com capacidade para processamento de 230 mil barris de petróleo por dia. Além da refinaria, operam outras duas empresas estruturadoras: a PQS, formada pela junção da PetroquimicaSuape com a Citepe, e a M&G Polímeros. Ambas são responsáveis por produzir preforma PET, resina plástica reconhecida como a mais resistente para fabricação de garrafas e embalagens plásticas. A planta da PQS também produz ácido tereftálico purificado (PTA) e filamentos de poliéster. O Polo Petroquímico ainda abastece seis empresas instaladas em Suape, fortalecendo o sistema de adensamento da cadeia industrial.