Notícias

Conheça a Edscottita, mineral inédito que caiu do céu

Pesquisas feitas em um meteorito que caiu próximo a Wedderburn, na Austrália, em 1951, trazem surpresas até os dias atuais. Agora, quase 70 anos após a queda, cientistas descobriram que, dentro dele, existe um mineral inédito. O novo elemento é uma variação de carboneto de ferro, nome que se dá a minerais que combinam átomos de ferro e carbono.

A rocha já vinha sendo objeto de estudo desde que chegou à terra,  mas pela primeira vez, uma análise acusou a presença de um material diferente. A descoberta foi de um grupo de pesquisadores do Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech), nos Estados Unidos, quando os cientistas estudavam a coleção dos Museus Victoria, na Austrália, onde a pedra fica exposta. O fato inédito foi publicado na revista científica Journal of Earth and Planetary Materials.

Outros pesquisadores já haviam encontrado no fragmento de rocha espacial traços de metais como ouro, ferro, kamacita, schreibersita, taenita e troilita. De tanto ser manipulado e examinado por cientistas, estima-se que o material tenha apenas um terço da sua massa original, que era de 210 gramas. A versão que está exposta no museu, hoje, teria cerca de 71 gramas.

Até o último levantamento da Associação Internacional de Mineralogia, feito ao final de 2018, especialistas já haviam identificado 5,4 mil tipos diferentes de minerais. Segundo estimativa da Sociedade de Mineralogia dos Estados Unidos, essa lista ganha pelo menos 30 novos integrantes a cada ano.

CURIOSIDADE

Qual o motivo do nome escolhido para o nome mineral? Trata-se de uma adaptação do nome de Edward Scott, renomado especialista em meteoritos e cosmoquímico da Universidade do Havaí.