Notícias

CFQ se despede de Jesus Miguel, o presidente que deu identidade ao Sistema

Por mais de três décadas, a imagem de Jesus Miguel Tajra Adad e do Conselho Federal de Química (CFQ) se confundiram. Com a morte do químico, ocorrida na madrugada desta segunda-feira (15/6) após uma parada cardíaca em Teresina (PI), uma das páginas mais importantes da História dos conselhos profissionais, do Sistema CFQ/CRQs e da Química no Brasil se completa.

Jesus Miguel foi o rosto do CFQ entre 1985 e 2018, período em que dirigiu o conselho federal. Foi sob o comando dele que o sistema de proteção à sociedade que existe hoje, com o conselho federal e os 21 conselhos regionais de química, se estruturou. Inúmeras resoluções normativas, incontáveis julgamentos, sessões plenárias e atos solenes foram conduzidos no CFQ sob seu comando. Jesus Miguel esteve à frente do CFQ em outro momento de grande significado: depois de cerca de quatro décadas de funcionamento na antiga capital, o Rio de Janeiro, o CFQ se mudaria pra Brasília – uma sede própria, construída sob sua coordenação, no Setor de Autarquias Sul.

O ex-presidente é um personagem de grande carga simbólica. É certo que, sem sua presença marcante, o Sistema CFQ/CRQs não poderia ter as características que tem hoje. O seu legado é imenso mas, de modo geral, os relatos daqueles que tiveram a oportunidade de um convívio mais próximo são de alguém dotado de grande inteligência, apaixonado e conhecedor da Química mas dotado de talentos em diferentes áreas do conhecimento.

O atual presidente do CFQ, José de Ribamar Oliveira Filho, foi vice-presidente durante a gestão de Jesus Miguel. Consternado pela perda do ex-companheiro de diretoria, José de Ribamar destaca a honestidade e a retidão dele como características marcantes de sua personalidade.

“Obrigado, professor Jesus, pelo seu trabalho, competência e, sobretudo, pela suprema virtude de sua honestidade. São rastros que se perpetuarão e que devem ser seguidos. Este é o seu maior legado! São minhas singelas palavras que traduzem muito pouco de quase toda uma vida. Foram 33 anos de dedicação plena ao Sistema CFQ/CRQs. Mais uma vez, muito obrigado e que Deus o tenha!”, afirmou o presidente José de Ribamar.

Colega de Jesus Miguel no CFQ por muitos anos, o conselheiro federal Dalton Rodrigues teve agradável convívio com o ex-presidente. Em 2019, o conselheiro deu este depoimento sobre o amigo:

“Era um caráter impressionante, de uma limpeza moral, dignidade e decência. Jesus se dedicou 24h por dia a isso aqui, ao CFQ. Ele era muito inteligente, uma pessoa muito íntegra. Aí está o conselho que ele conseguiu juntar, foi o trabalho da vida dele. Tinha e tenho grande admiração por ele”, afirmou Rodrigues.

Sobre as características de temperamento do ex-presidente, Rodrigues destaca uma:

“Ele era uma pessoa muito minuciosa, nenhum detalhe passava despercebido por ele.”

O presidente do CRQ XIV, Gilson da Costa Mascarenhas, que preside o Colégio de Presidentes dos CRQs, emitiu nota em nome do colegiado e de seus membros.

“O Corpo Diretivo do COPRESI, juntamente com seus membros, se solidariza com a família do Dr. Jesus Miguel Tajra Adad, em decorrência de seu falecimento. A família da Química fica de luto pela perda de um Químico que dedicou parte de sua vida para o desenvolvimento e o progresso da profissão no Brasil”, diz a nota.

Mascarenhas destacou ainda a integridade e dedicação de Jesus Miguel à causa da Química no Brasil. “Uma grande perda”, afirma.

Para o conselheiro federal Fuad Haddad, 1º vice-presidente do CFQ, Miguel Jesus deixou como herança “o trabalho honrado digno de homens competentes, honestos, dedicados a uma causa”.

“Com o perecimento do professor Jesus Miguel, o Sistema CFQ/CRQs perde um dos seus maiores colaboradores em 64 anos de existência. Sua paixão pela Química e sua postura intransigente em defesa dos profissionais permanecerá, como um legado para as futuras gerações. Deixamos aqui registradas nossas efusivas homenagens pelo seu trabalho honesto, competente, dedicado, ético e honrado em prol dos profissionais da Química do Brasil. Descanse em Paz”, afimou Haddad.

Homenagem foi último ato solene do CFQ para Miguel Jesus

O último ato solene do CFQ relacionado ao ex-presidente Miguel Jesus ocorreu no início de 2020. A Comissão de Premiação e Eventos do CFQ concedeu a ele o título de Conselheiro Emérito do CFQ.

A honraria foi aprovada no final dem 2019 e entregue em 4 de fevereiro na casa onde ele morava com a família, no Estado do Piauí. Jesus Miguel foi o primeiro agraciado com o título de Conselheiro Emérito. De acordo com Silvana Carvalho de Souza Calado, presidente da Comissão de Premiação e Eventos, os méritos do ex-presidente do CFQ não se resumem ao Federal.

“Ele tem um trabalho extremamente relevante e que não se limitou ao período à frente do CFQ. A homenagem que pudemos prestar a ele foi simples, mas importante. Estávamos diante da família dele e eles disseram muitos dos fatos que narramos, sobre a participação de Jesus no Sistema CFQ/CRQs”, explicou Silvana, na oportunidade.

BIOGRAFIA DE JESUS MIGUEL TAJRA ADAD

Natural de Teresina (PI), Jesus Miguel Tajra Adad nasceu em 19 de junho de 1930. Graduado engenheiro químico e químico industrial pela Universidade Federal do Paraná, tinha ainda especialização e mestrado como engenheiro sanitarista (UFMG), especialização como engenheiro de segurança do trabalho (UFMG) e especialização em radioisótopos aplicados à Bioquímica.

Além de presidente do CFQ, Jesus ocupou os cargos de presidente do Conselho Regional de Química da 2ª Região (CRQ II), presidente da Associação Brasileira de Química (regional Minas Gerais), presidente da Associação Profissional dos Químicos de Belo Horizonte (MG) e professor adjunto da Escola de Engenharia da UFMG.