Notícias

CFQ participa da confecção do novo Catálogo Nacional de Cursos Técnicos

O Sistema CFQ/CRQs, à convite do Ministério da Educação (MEC), está participando das discussões em torno da edição e atualização do novo Catálogo Nacional de Cursos Técnicos (CNCT).

No dia 1º de setembro, foi realizada uma reunião em ambiente virtual, envolvendo membros do Comitê de Relações Institucionais e Governamentais (CRIG), o presidente do CFQ, José de Ribamar Oliveira Filho, o presidente da Comissão de Ensino e Formação do CFQ, Fuad Haddad, e representantes do Comitê de Cursos Técnicos (CCT) do Ministério da Educação – entre eles, Ariosto Culau, secretário de Educação Profissional e Tecnológica do MEC (Setec) e a diretora de Políticas e Regulação de Educação Profissional e Tecnológica, Marilza Regattieri.

O CNCT, que está chegando a sua 4ª edição, é um referencial importante para subsidiar o planejamento dos cursos técnicos de nível médio e suas correspondentes qualificações profissionais técnicas.

“A partir do momento que o CNTC é elaborado em regime de cooperação, o CFQ se colocou a disposição da Secretaria para contribuir e colaborar no que for necessário. Temos uma experiência acumulada ao longo de mais de sessenta anos através do Sistema CFQ/CRQs, orientando e atuando junto aos profissionais técnicos, de diversas formações e modalidades na área da Química”, afirma Fuad.

 Fuad explica ainda a importância do CNCT:

 “Além de um instrumento normativo para a oferta dos cursos em relação a cargas horárias mínimas, perfil do egresso, infraestrutura mínima necessária, campo de atuação, possibilidades de certificação intermediária, dentre outras, também informará quais as normas associadas e vigentes para o exercício profissional”, salienta.

Coordenador do CRIG aponta receptividade e oportunidades de melhoria

Já o coordenador do CRIG e presidente do Conselho Regional de Química da 3ª Região (CRQ III), Rafael Almada, salienta a tramitação do novo Catálogo:

“O Ministério da Educação constituiu um grupo de trabalho, o Conselho Nacional de Educação vai analisar, avaliar o documento e depois ele voltará para o Ministério da Educação. Ao abordar o assunto, identificamos também oportunidades de melhoria nas resoluções do CFQ e o próprio MEC foi bastante receptivo. Isso é importante, assim como é ótimo destacar que fomos chamados para esse diálogo e isso não era algo que acontecia antes. O CRIG mostra que está atento e ativo para todos esses debates envolvendo o Legislativo e o Executivo”, afirma Almada.

De acordo com o presidente do CFQ, essa atualização é de suma importância para que os cursos acompanhem o dinamismo exigido dos profissionais da Química no mercado de trabalho.

“É importantíssima essa iniciativa do governo de nos chamar pra dialogar. Temos conhecimento acumulado na avaliação de cursos e conhecemos também a realidade da atuação dos profissionais no mercado. Podemos contribuir muito para que o ensino técnico seja efetivo, instigante pra quem cursa, motivante pra quem ensina e satisfatório para as empresas que contratam esses técnicos”, pontuou o presidente José de Ribamar.