Notícias

CFQ conclui Relato Integrado: a maneira revolucionária de prestar contas à sociedade

Na semana que passou, o Conselho Federal de Química (CFQ) encaminhou ao Tribunal de Contas da União (TCU) a edição deste ano do Relato Integrado, referente às realizações do Conselho no exercício de 2018. O Relato Integrado é uma compilação de dados cujo padrão é estabelecido pelo TCU, baseado nas melhores práticas do International Integrated Reporting Council (IIRC), e será exigido de todos os órgãos públicos da administração direta e indireta, autarquias e fundações a partir deste ano.

O espírito do Relato Integrado é ir além dos já tradicionais balanços econômico-financeiros periódicos: a intenção é fazer com que o documento de prestação de contas à sociedade seja menos hermético e focado em dados contábeis. O resultado é um relatório mais amigável e atraente, vocacionado pra fazer com que o cidadão menos acostumado a acompanhar o funcionamento da administração tenha acesso a um documento inteligível que o informe adequadamente sobre a qualidade da gestão dos órgãos públicos.

No caso do CFQ, o trabalho de confecção da peça consumiu boa parte do primeiro semestre. Diante da novidade, as dúvidas surgiram em grande volume. Na primeira quinzena de março, o CFQ realizou um seminário técnico em Brasília e reuniu integrantes da área de Governança do Sistema CFQ/CFQ, além de gestores e corpo técnico dos órgãos.

RELATO INTEGRADO TEM TRÊS SEGMENTOS

Na ocasião, o presidente do CFQ, José de Ribamar Oliveira Filho referiu que o Relato Integrado é um instrumento bem-vindo  e que “a sociedade tem o direito de conhecer não somente os fatos e os números referentes à administração pública, mas também mecanismos e processos que conduzem a atividade administrativa”.

De acordo com Leonardo Nunes Ferreira, controller do CFQ, o Relato Integrado é um avanço por “proporcionar não apenas os resultados, mas também prospectar informações que permitam projetar as ações futuras da organização”.

“O Relato Integrado parte do pressuposto que sua elaboração é uma construção coletiva de todos os setores. Ele nos fornece uma macrovisão sobre os dados, não apenas de como funcionam os departamentos mas também sobre como se correlacionam”, afirma Nunes Ferreira.

O controller do CFQ aponta ainda que são três os parâmetros propostos pelo Relato Integrado: o regulatório, de prestação de contas; o de autoavaliação de parte da organização, que permite identificar com clareza eventuais falhas; e o de projeção futura, com a organização expondo à sociedade seu comprometimento estratégico em agregar valor e oferecer serviços mais qualificados.

Clique aqui e tenha acesso ao Relato Integrado do CFQ