Notícias

Carreira de Química na área de bebidas é tema de live do Projeto Inspiração do CRQ IV

O Conselho Regional de Química da 4ª Região (CRQ IV), com jurisdição em São Paulo, abriu, nesta terça-feira (25), a nova temporada do Projeto Inspiração. O tema da primeira live do ano foi a carreira de química voltada à área de bebidas. O projeto consiste em realizar lives com convidados de áreas específicas para falar sobre suas experiências profissionais. O objetivo é que os estudantes conheçam mais sobre as rotinas da profissão e as perspectivas para o mercado de trabalho, despertando o interesse para os diversos seguimentos de atuação.

Para falar sobre a área de bebidas, o Projeto Inspiração convidou dois profissionais com bastante experiência nesse campo. Dilermando Peçanha, graduado em Licenciatura em Química, pós-graduado em Tecnologia Ambiental e Técnico em Química, com vasta experiência na indústria, no seguimento de refrigerantes, aromas e extratos naturais, vivência com franquias, implantação de laboratório de microbiologia, controle de qualidade, desenvolvimento de novos sabores e experiência no magistério. O outro convidado foi Tarsis Patiti, bacharel em Química (UEL), Técnico Cervejeiro pelo Senai (Vassouras/RJ), sommelier de cervejas, Mestre em Estilos, especialista em Off Flavours, especialista em Harmonização com Cerveja (Instituto da Cerveja Brasil), professor de Tecnologia Cervejeira do Science of Beer e Sócio Cervejeiro da SOMA Cervejaria. A live contou com as falas de ambos e foi mediada pela bacharel em Química Juliana Pena, integrante da Gerência de Fiscalização do CRQ IV.

Os dois convidados contaram um pouco sobre sua história profissional e como começaram suas carreiras. Responderam perguntas de participantes que assistiam à live e deram dicas para aqueles que tem interesse em escolher essa profissão.

Dilermando resumiu os seus 20 anos de carreira na área química de bebidas. Ele contou que passou por diversas áreas na indústria, desde o chão de fábrica ao desenvolvimento e controle de qualidade. Ele disse que se sente realizado profissionalmente, mas, quando jovem, aprendeu que na carreira de Química se adquire confiança com trabalho. “A pessoa que está começando, saindo da faculdade, e acha que vai chegar lá e vai descobrir a fórmula da bomba atômica, esquece! Não vai ser assim. Você vai construindo o seu trabalho no dia a dia e vai adquirindo confiança no dia a dia de trabalho. Mas na nossa área não podemos ter medo de arriscar”, completou Dilermando.

No currículo, o profissional traz o tempo de trabalho como supervisor e químico responsável na indústria de refrigerantes e disse que os problemas nessa área são muitos, mas são eles que fazem o profissional aprender. “O sucesso do produto está muito ligado ao trabalho da pessoa, à atenção que essa pessoa dá ao processo, aos cuidados que ela tem, à perspicácia em solucionar os problemas e o controle de qualidade efetivo”, ressaltou.

Já Tarsis Patiti contou que, logo no primeiro ano da faculdade, em Londrina, ao frequentar o bar que tinha próximo à sua moradia, ele despertou para a área de bebidas, especificamente a cerveja. Formou-se em 2010 e em 2011 decidiu fazer o único curso técnico na área de cerveja que existia no Brasil naquela época, no Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) no Rio de Janeiro. “Me identifiquei muito, principalmente com a parte química do processo, pois eu uso a química orgânica, inorgânica, química analítica, microbiologia, bioquímica, enfim, tudo o que eu estudei eu aplico na produção da cerveja”. Após o curso, ele voltou para São Paulo e logo conseguiu um emprego como cervejeiro. Na indústria foi contratado para melhorar um produto que acabou ganhando quatro premiações nacionais e um prêmio sul-americano. “Foi um desafio muito grande com um resultado muito satisfatório! É muito gratificante ver uma pessoa bebendo a cerveja que você fez e gostando, apreciando o produto. Eu fico muito feliz e satisfeito com esse trabalho”.

Depois da experiência com a indústria, Tarsis decidiu seguir como autônomo, dando consultorias, foi convidado para dar aulas, abriu a própria cervejaria, tornou-se integrante da Comissão Técnica de Alimentos e Bebidas do CRQ IV e virou sócio da SOMA Cervejaria. “Existe um vasto leque de possibilidades. Eu comecei no chão de fábrica, tive uma visão macro de tudo, participei de todos os processos. Em pequenas cervejarias você atua em todas as áreas, já numa grande, é tudo setorizado. É bem diferente, mas enriquecedor”. Ele relatou que para trabalhar com cervejas não é preciso ter formação em Química, mas que esse conhecimento faz muita diferença. “Principalmente na área de microbiologia e fermentação. Com a experiência a gente sente mais facilidade, enxerga com outros olhos”.

Os palestrantes da noite reforçaram que na área de bebidas o sensorial é muito importante, principalmente com os aromas e controle de acidez. Já na área produtiva, os profissionais comentaram sobre a importância de se conhecer bem o processo de produção, desde a fonte da matéria prima até a preocupação com as embalagens dos produtos.

Ao longo do ano, o Projeto Inspiração pretende realizar lives  nas últimas terças-feiras de cada mês. O acesso é pelo canal do CRQ IV https://www.youtube.com/user/CRQSP

As lives ficam gravadas e é possível assisti-las quando quiser.