Notícias

Campanha incentiva alunos a participar de Olimpíadas

João Michels Cardoso tem 28 anos e, em 2009, quando estava no segundo ano do ensino médio, foi medalha de ouro na Olimpíada Catarinense de Química. No ano seguinte recebeu menção honrosa pelo desempenho. Hoje ele é professor de Física e reflete que a trajetória profissional e escolar tomou um rumo totalmente diferente após a conquista.

“O ensino médio é uma fase em que ficamos meio perdidos, buscamos um rumo mas sem saber ao certo o que fazer. E a Olimpíada ajudou porque a partir dali percebi que eu tinha um interesse verdadeiro pela Química”, conta. O jovem cursou Licenciatura em Química e, em seguida, Engenharia Química. Hoje, professor, ele incentiva os alunos a participar do concurso e repassa a sua experiência. “Vou de sala em sala falar sobre a importância das olimpíadas, de como mudou a minha trajetória e ajudou a me encontrar”.

João Michels Cardoso se formou em dois cursos na área de Química

Pensando em casos como o de João, a campanha #SouOlimpicoSC foi idealizada e será operacionalizada a partir do projeto de extensão que é desenvolvido em Santa Catarina pela coordenadora da Olimpíada de Química em Santa Catarina, a professora Francielen Kuball Silva. O público-alvo são alunos que já participaram da Olimpíada Catarinense de Química que queiram compartilhar sua experiência no certame e como o mesmo contribuiu para a sua formação profissional e como cidadão. “A nossa inspiração veio da campanha #SouQuímico realizada pelo Conselho Federal de Química (CFQ) e a nossa intenção é valorizar os estudantes, incentivar que eles participem das Olimpíadas”, aposta Francielen.

Já o professor Jonas Comin Nunes, Delegado Regional do CRQ/SC e membro da Comissão Organizadora da OCQ, destaca que a Química presta uma contribuição essencial à humanidade. “Os produtos químicos são imprescindíveis no dia a dia da população, em todos os sentidos e em todos os momentos. Esses produtos são utilizados, por exemplo, desde o tratamento da água e esgoto, até a produção de alimentos, a produção de fertilizantes e a preservação e recuperação da saúde, com a produção de medicamentos e vacinas. A Olimpíada de Química busca motivar nos estudantes o interesse pela ciência química, contribuindo para a melhoria do processo de aprendizagem e estimulando-os a estabelecer um futuro profissional na área química”.

O estudante Luiz Fernando Atvars Pereira, do Curso de Engenharia Química da Unisul e líder da atividade no projeto de extensão, relata que se sente gratificado em poder participar da campanha. Junto com a professora Francielen desenvolvemos em equipe um ambiente de respeito profissional acadêmico, com a missão de incentivar os já medalhistas da Olimpíada Catarinense de Química e convidar novos alunos que se interessam pelo tema a desenvolver o interesse de participar da Olimpíada. Nosso principal valor é desenvolver os participantes e os dar o devido conhecimento pela conquista, além de introduzir a novas pessoas o prazer da Química”, relata.

Para participar, os estudantes que ganharam medalhas no exame que tiverem interesse, podem enviar um inbox no Instragram da Olimpíada Catarinense de Química @ocquimica. O material – depoimento e foto – será divulgado no canal. A ideia é também enviar este material para as escolas, para que os alunos se sintam ainda mais incentivados.

A atividade está vinculada ao projeto de extensão Olimpíada Catarinense de Química: motivando a aprendizagem e relacionando a química com o cotidiano dos estudantes. A Olimpíada de Química em Santa Catarina é desenvolvida numa parceria entre a Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL) e o Conselho Regional de Química da 13ª região (CRQ/SC), com o apoio da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).