Notícias

Aquecimento para Olimpíada Internacional: fase IV da OBQ 2020 será realizada no domingo (28)

Os 60 candidatos medalhistas da terceira fase da Olimpíada Brasileira de Química (OBQ 2020) farão o exame da Fase IV neste domingo (28). Essa é uma das etapas preparatórias para a Olimpíada Internacional de Química, prevista para acontecer em julho, em Osaka (Japão). Serão selecionados 15 estudantes que seguirão no processo e farão, em abril, o Curso de Aprofundamento e Excelência em Química, ministrado por professores do curso de pós-graduação em Química de uma das universidades participantes. Depois, será escolhida a equipe que representará o Brasil na Olimpíada Internacional de Química e na Olimpíada Ibero-americana de Química.

Em 2021, a instituição escolhida para administrar o curso é a Universidade de São Paulo (USP). Segundo o professor Sérgio Melo, coordenador do Programa Nacional Olimpíadas de Química, esse curso é essencial para ampliar o conhecimento dos alunos e prepará-los para os exames internacionais.

Desde 1968, a International Chemistry Olympiad, IChO, reúne, a cada ano, no mês de julho, aproximadamente 320 estudantes de 80 diferentes nações. Cada país pode competir com o máximo de 4 estudantes não-universitários, com idade inferior a 20 anos, que são submetidos a exames teóricos e práticos durante o evento.

 

Adaptações

Em 2020, o Programa Nacional Olimpíadas de Química precisou adaptar o seu calendário à nova realidade e exigências sanitárias trazidas pela Covid-19. Algumas provas ocorreram remotamente e outras foram adiadas. No dia 28 de março de 2021, o calendário do ano anterior será finalizado com os exames da Fase II das Olimpíadas estaduais.

As provas e o curso das fases IV, V e VI da OBQ já constam como parte do calendário 2021. Em razão da pandemia, as provas e o curso serão online para preservar a saúde dos alunos e professores.

 

Parceria importante

Melo destaca que as mudanças na aplicação das provas para o formato digital elevaram o custo dos exames. “Antes, conseguimos muitas parcerias com escolas e universidades que cediam material e também voluntários para a realização das provas. Neste novo formato, foi preciso contratar uma empresa externa, e o Programa precisa pagar por aluno inscrito”, esclarece. Vale lembrar que as inscrições são totalmente gratuitas para os alunos.

“A parceria com o Conselho Federal de Química e o repasse financeiro oferecido pela instituição foram essenciais para que a OBQ continuasse mesmo com tantas mudanças”, afirma.