Notícias

Abiquim premia startup por solvente que elimina bactérias em tecidos

Uma das mais tradicionais distinções da indústria química no Brasil, o Prêmio Kurt Politzer de Tecnologia, promovido pela Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), foi entregue na categoria startup à empresa TNS por um projeto inovador, relacionado à indústria de roupas, intitulado “Substituição de solventes tóxicos e diminuição do consumo energético no processo produtivo de antimicrobianos para a indústria têxtil”.

Os solventes projetados pela TNS são usados para a formulação de uma classe de compostos conhecida como silano-quaternários (SiQuats), usados para eliminar as bactérias nos têxteis. Os benefícios evidentes são a diminuição dos riscos de infecções bacterianas e irritações na pele. Além desses, a tecnologia promete impedir o processo de degradação do suor permitindo que esses artigos permaneçam com cheiro agradável por mais tempo e evitando assim o desperdício de água com a lavagem desses itens. Roupas que demandam menos lavagens – ou que dispensam o uso de produtos de limpeza mais agressivos, oferecem possibilidades infinitas para a fabricação de artigos mais sustentáveis.

Gabriel Nunes, diretor-geral da TNS, explica que a jornada para desenvolver o produto durou pouco mais de um ano e que veio de uma demanda da indústria. Nunes afirma ainda que a concorrência no segmento das startups relacionadas à Química é bastante grande.

“O reconhecimento da Abiquim nos permite penetração e visibilidade de impacto no nosso grande mercado B2B (de empresa para empresa) de interesse, ou seja, as associadas Abiquim”.

Startup desenvolveu produto em conexão com a demanda da indústria

Essa conexão estabelecida entre a TNS e a indústria fez com que a empresa avançasse etapas. Enquanto outras startups lidam com a realidade de trabalharem apenas com boas ideias, o novo solvente desenvolvido por eles já está sendo aplicado.

“O produto já está no mercado (inicialmente apenas um) e estamos avaliando ampliação do portfólio de aplicações. O interesse inicial foi tão atraente, que o mesmo dentro do primeiro ano de comercialização, já alcançou escala”, afirma o diretor-geral.

A TNS atua com foco em Química e sustentabilidade. Soluções em química verde para o campo estão no radar da startup, que promete direcionar projetos para a área.

“Em relação ao campo mais promissor, essa resposta pode ser avaliada de diferentes maneiras de acordo com o foca da empresa. Para nós na TNS, estamos apostando e investindo muito em aditivos químicos antimicrobianos sustentáveis e aditivos para o agro, focado em aumento de produtividade e liberação de ativos de maneira controlada”, conclui.