Notícias

A cara do Momento Q: Muller e o amanhã da Química e dos químicos

O Momento Q, série de ações de integração do Sistema CFQ/CRQ em comemoração ao Dia Nacional do Químico, já passou por seis capitais reunindo profissionais da Química para debater os novos rumos da ciência em tempos de permanentes mudanças. O engenheiro químico e mestre em processos petroquímicos pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Claudio Luís Muller, percorreu essas cidades para ministrar a palestra “O papel da Química na Indústria 4.0” e faz um balanço positivo da iniciativa.

Para Cláudio, o ponto alto do Momento Q é a oportunidade de aproximar a Academia e as demandas do setor produtivo. “Um dos grandes problemas que retarda o desenvolvimento econômico e tecnológico é a distância entre o setor acadêmico e o mercado. Para impulsionar a competitividade, é preciso a aproximação urgente desses atores. A criação deste evento é um passo importante para mudar essa cultura”, avalia o professor. Ele explica que tão importante quanto ensinar as teorias da Química para os futuros profissionais, é também mostrar como aplicá-las em um mercado tão diverso e em constante transformação.

Em sua palestra, Cláudio dá exemplos de como a Indústria 4.0 incide diretamente no futuro aplicado da Química e como o profissional deve se preparar para o mercado. “A Indústria 4.0 já é uma realidade. As reduções de custos tecnológicos ajudaram as pequenas e médias empresas a se modernizarem. Esse fator atinge diretamente os profissionais de Química, pois são nessas empresas que a maioria deles atua”, exemplifica.

E como estar preparado diante de tantas mudanças? “É fato que com o advento das novas tecnologias, antigas ocupações tendem a sumir. Isso causa um compreensível temor, mas é preciso enxergar além. Com as mudanças, novas profissões estão a caminho”, declara. Claudio explica que o profissional do futuro terá que ser multidisciplinar. “Além de dominar os conceitos da Química, ele também terá que entender outros conceitos como marketing, estatística, ou gestão”, explica.

O professor também destaca a cooperação profissional como agente de transformação. “Até pouco tempo, diferentes áreas envolvidas em mesmos processos não se falavam. Hoje, por exemplo, a Química e a Biomedicina podem explorar ótimos resultados em pesquisas para desenvolver determinado produto”, finaliza.

O Momento Q já passou pelas cidades de Goiânia (GO), Vitória (ES), Rio de Janeiro (RJ), Maceió (Alagoas), Fortaleza (CE) e São Paulo (SP). Além da palestra sobre a Indústria 4.0, a engenheira química Juliana Bondança Pereira levou o tema “Como a tendência aos naturais impacta o mercado brasileiro de ingredientes” para o Rio de Janeiro. O próximo Momento Q está confirmado para o dia 18 de julho, em Salvador (BA).

Acesse as redes sociais do CFQ:

twitter.com/cfquimica

facebook.com/cfquimica/

instagram.com/cfquimica/

youtube.com/cfquimica

linkedin.com/company/cfquimica

soundcloud.com/cfquimica